Comissária da Qantas é acusada de racismo por Will.i.am

A Qantas se tornou a estrela de uma briga tensa com Will.i.am a bordo de um dos voos regionais da companhia aérea. O que inicialmente era um Tweet descontente se transformou em uma batalha polêmica de discriminação racial e, em alguns casos, ódio.

O cantor do Black Eyed Peas, Will.i.am, disse a seus 12,8 milhões de fãs em redes sociais neste último no sábado (16/11) que ele havia sido alvo de preconceito racial, durante um voo da Qantas de Brisbane para Sydney como parte de uma turnê da banda.

De acordo com Will.i.am, cerca de 20 minutos após a decolagem uma comissária de bordo pediu ao cantor que deixasse de usar seu notebook. Ele alega não ter ouvido a mensagem, visto que estava usando fones de ouvido com cancelamento de ruído.

Aeronaves da companhia aérea australiana Qantas no aeroporto de Melbourne.

A comissária então optou por reforçar o aviso, chamando a atenção do cantor através do sistema de áudio da aeronave, conhecido como PA (em português). O cantor, então, apontou que a atitude tomada somente com ele pela comissária foi racista.

Para piorar a situação, o cantor foi recebido em Sidney pela polícia do aeroporto, acionada pelos comissários de bordo. Ele foi interrogado, mas libertado sem mais incidentes. O cantor então voltou ao Twitter falar sobre os maus-tratos no voo da Qantas.

Os passageiros confirmaram a versão de Will.i.am. 

“Estava no mesmo voo e não pude acreditar na rudeza daquela funcionária. Minhas desculpas em nome da metade da Austrália”, disse Kate Selway em uma postagem no Twitter.


A companha minimizou o problema ao ser questionada, e desejou uma excelente turnê para o Black Eyed Peas e Will.i.am.

DEIXE UMA RESPOSTA