Companhia Aérea Virgin Atlantic
Foto: NMOS332, (CC BY-SA 4.0), via Wikimedia Commons

Na última segunda-feira (2), uma situação inusitada ocorreu em um voo internacional da companhia aérea de bandeira britânica Virgin Atlantic. 

O voo VS3 entre os aeroportos de Heathrow e Nova York operado por um Airbus A330-300 retornou para Londres teve que retornar para Londres após a companhia descobrir que o copiloto (Primeiro-Oficial) que estava a bordo não havia terminado o treinamento para operar a aeronave. Com isso, o voo que já havia decolado há 40 minutos, teve que dar meia-volta. 

Virgin Atlantic Companhia Aérea
Foto: Flightradar24/Reprodução

Curiosamente, no momento da descoberta, a aeronave estava sobrevoando a Irlanda, situação que irritou os passageiros do voo em decorrência do atraso gerado por cerca de 2 horas e 40 minutos para que um novo co-piloto assumisse o voo.  

“Pedimos desculpas por qualquer inconveniente causado aos nossos clientes que chegaram 2 horas e 40 minutos depois do previsto como resultado da mudança da tripulação”, disse um porta-voz da companhia aérea. 

De acordo com a Virgin Atlantic, a companhia afirmou que houve um erro de escala do copiloto para o voo VS3, e apesar de o copiloto não estar apto para assumir o voo, o profissional possui qualificação e carteira para operar a aeronave, entretanto, faltava um voo de avaliação final exigido pela companhia aérea. 

Além disso, o Capitão do voo foi descrito pela Virgin como “altamente experiente”, mas não tinha o status de “avaliador”, comprometendo as normas e protocolos internos de treinamento da empresa aérea. 

Após a situação embaraçosa, o voo prosseguiu normalmente.

Com informações: The Mirror