Companhias aéreas dos EUA pedem ajuda de US$ 50 bilhões ao governo

As companhias aéreas dos EUA estão buscando pelo menos US$ 50 bilhões em ajuda financeira enquanto administram a crise do coronavírus, que causou uma queda acentuada na demanda e perdas crescentes para um setor acostumado a anos de crescimento progressivo dos lucros.

A Airlines for America (A4A), que representa onze das maiores transportadoras de passageiros e cargas dos EUA, incluindo United Airlines, Southwest Airlines, Delta Air Lines, FedEx e American Airlines, disse em 16 de março que as companhias sofreram “danos sem precedentes” nas últimas duas semanas.

Em um documento publicado em seu site, a organização comercial diz que as reservas líquidas excederam 100% negativos nos próximos meses, e os cancelamentos em algumas operadoras estão superando as reservas de duas para uma.

O órgão da indústria está pedindo ao governo dos EUA uma combinação de doações, empréstimos e benefícios fiscais, já que as operadoras vêem seus negócios serem dizimados devido a temores da propagação da pandemia global, bem como a restrições onerosas de viagens impostas por vários países, incluindo os EUA. 

Foto – Bill Larkins

A A4A espera que suas companhias aéreas membros experimentem um declínio na liquidez entre US$ 18 bilhões e US$ 26 bilhões apenas nos primeiros seis meses de 2020.

Nesse pior cenário, “todas as sete companhias aéreas de passageiros A4A ficam sem dinheiro completamente entre 30 de junho e o final do ano”, diz a associação. “Tornando as coisas ainda mais urgentes, as empresas de cartão de crédito provavelmente começariam a reter dinheiro das vendas antes que as operadoras realmente ficassem sem dinheiro, efetivamente fazendo com que as operadoras ficassem sem dinheiro antes de 30 de junho”.

Há discussões entre analistas de companhias aéreas e especialistas do setor que o governo dos EUA pode fechar completamente o espaço aéreo das transportadoras de passageiros nos próximos dias, permitindo que apenas frete e carga sejam transportados por via aérea. Algumas companhias aéreas já estão pensando em mudar voos de passageiros para vôos somente de carga. 


“Uma proibição de viagens domésticas de 30 dias pioraria nosso cenário otimista em US $ 7 bilhões e nosso cenário pessimista em US $ 10 bilhões”, afirma a associação do setor.

Cerca de 750000 pessoas são empregadas pela indústria aérea nos Estados Unidos, e muitas companhias aéreas já anunciaram medidas para preservar reservas de caixa. Isso inclui oferecer licença voluntária e não remunerada aos funcionários, aterrar partes de suas frotas e reduzir novos investimentos ou atrasar a entrega de aeronaves. 

Algumas companhias aéreas cortaram a contratação de pilotos e reduziram a capacidade em 50% ou mais.

 

DEIXE UMA RESPOSTA