Competição SAE BRASIL AeroDesign terá a participação de 95 equipes

A paixão pela aeronáutica inspirou estudantes de engenharia do Sul (Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina), que fazem os últimos ajustes em 22 aeronaves radiocontroladas, projetadas e construídas dentro das instituições de ensino.

O objetivo é disputar a 21ª Competição SAE BRASIL AeroDesign, entre os dias 24 e 27 de outubro, no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos, SP.

A região Sul tem a segunda maior participação, com 22 equipes (nove do Rio Grande do Sul, oito do Paraná e cinco de Santa Catarina), que integram as 95 inscritas nesta edição, sendo 93 brasileiras e duas estrangeiras, depois de São Paulo.

No total, mais de 1,3 mil participantes – entre estudantes, professores orientadores e pilotos – representarão 71 instituições de ensino superior do Brasil (16 Estados e Distrito Federal) e do Exterior (México e Venezuela).

Paraná – Com dois anos de experiência na Classe Regular, a equipe Burning Goose estreia neste ano na Classe Micro.

“Estamos com uma boa expectativa para este ano, como equipe ingressante na categoria Micro, temos o objetivo de realizar um voo válido na competição, que não foi atingida por equipes ingressantes na categoria nos últimos anos”, ressalta o capitão da equipe, Alberto Woidaleski.

Em ano de estreia na Classe Micro, a equipe apostou em um projeto mais seguro para atingir o objetivo, e segundo o capitão o ponto forte é um projeto que seja eficaz.


“Participar da competição SAE AeroDesign é uma oportunidade incrível, e nos proporciona a oportunidade de realizar um projeto de engenharia, desde sua idealização até o teste do protótipo”, destaca o capitão.

 

Rio Grande do Sul – Ficar entre os dez primeiros colocados é o objetivo dos veteranos da equipe Aerosul, da Universidade de Caxias do Sul, que compete na Classe Regular.

Segundo o capitão da equipe, Wander Bortolon, os diferenciais da aeronave são: perfis aerodinâmicos da asa e estabilizadores desenvolvidos pela equipe; forma aerodinâmica otimizada para maximização de pontuação; fuselagem em alumínio, otimizada para redução de massa; e trem de pouso traseiro em fibra de carbono.

“O projeto foi desenvolvido seguindo um processo de desenvolvimento de produto, o que torna a aeronave apta a atingir o objetivo proposto”, destaca o capitão.

A região Sul ainda conta com as equipes AeroDesign UTFPR Curitiba, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná; Aerocária, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná; Aurora AeroDesign, da Universidade Positivo, de Curitiba; UTFalcon AeroDesign, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná; Carancho AeroDesign, da Universidade Federal de Santa Maria; Kamikase, da Universidade Santa Cruz do Sul; IFLySul, do Instituto Federal Sul-Riograndense; MasBáh AeroDesign, da Faculdade Horizontina – FAHOR; AEROFURG, da Universidade Federal do Rio Grande – FURG; Céu Azul Regular, da Universidade Federal de Santa Catarina; Albatroz AeroDesign, da Universidade do Estado de Santa Catarina; AeroSATC, da Faculdade SATC; Nisus, da Universidade Federal de Santa Catarina; AeroCataratas, da Unioeste, de Foz do Iguaçu; UTX, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná; Kamikase Micro, da Universidade de Santa Cruz do Sul; Carancho Micro, da Universidade Federal de Santa Maria; e Albatroz Aerodesign Micro, da Universidade do Estado de Santa Catarina.

Ao todo se inscreveram para a competição 27 equipes de São Paulo, 18 de Minas Gerais, 9 de Rio Grande do Sul, 8 do Paraná, e 5 de Santa Catarina. Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, e Espírito Santo contam com 3 equipes cada. Bahia, Maranhão, Piauí, Pernambuco e Mato Grosso têm 2 equipes cada. Amazonas e Ceará levam uma equipe cada. Do exterior, uma equipe é da Venezuela e uma do México.

 

Aeronaves – Com mudanças no Regulamento da Competição, as 95 equipes enfrentarão novos desafios, conforme as categorias Micro, Regular e Advanced. Na Classe Micro concorrem 25 equipes.

Nesta categoria, as aeronaves poderão transportar como carga útil materiais de quaisquer tipo e dimensões – exceto chumbo. Para 2019, as equipes têm o desafio de executar duas missões distintas: missão LAPES (Low-Altitude Parachute-Extraction System), em que as equipes deverão lançar a carga durante os voos com o uso de paraquedas para aumentar a pontuação da equipe, e/ou missão baixa densidade, em que a aeronave deverá transportar uma única carga paga na forma de um paralelepípedo com proporções fixas, tentando maximizar o peso máximo e o espaço.

Nesta categoria não há restrição de geometria ou número de motores – todos elétricos –, porém as equipes deverão ser capazes de desmontar o avião depois dos voos e transportar a aeronave desmontada em caixa de volume de 0,030 m³.

Na Classe Regular, que tem 60 equipes inscritas, os aviões deverão ter dimensões compatíveis com as restrições de tamanho, onde a soma da envergadura (comprimento da maior asa) e comprimento da aeronave (da ponta do motor até o final da aeronave) deve ser no máximo 3,70 metros. A categoria segue restrita a avião monomotor. As aeronaves poderão transportar como carga útil, materiais de qualquer tipo e dimensões, exceto chumbo.

Na Classe Advanced, com 10 equipes, os aviões seguem com o desafio de avançar na eletrônica embarcada. Além do tempo de voo, os sistemas a bordo deverão computar informações de voo e eficiência aerodinâmica. Além disso, o sistema embarcado deve detectar e fotografar alvos posicionados em solo e transmiti-los ao vivo via sistema para uma estação no solo.

Permanece opcional a escolha do tipo de propulsão (combustão ou elétrica). A única restrição relativa à motorização é a tração estática máxima (a potência entregue pelos motores segundos antes do início da corrida de decolagem é restrita). A exemplo da Classe Regular, as aeronaves poderão transportar como carga útil materiais de quaisquer tipo e dimensões, exceto chumbo.

 

Provas – As avaliações são realizadas em duas etapas: Competição de Projeto e Competição de Voo, conforme regulamento.

Na Competição de Projeto, as equipes realizam apresentações orais dos projetos para a Comissão Técnica da Competição, formada por engenheiros da indústria aeronáutica.

Na Competição de Voo, os aviões passam por baterias de voos e devem ser capazes de decolar e transportar cargas sempre crescentes, até as condições limite do projeto.

Ao final do evento, duas equipes da Classe Regular, uma da Advanced e uma da Classe Micro, que obtiverem as melhores pontuações, ganharão o direito de representar o Brasil na SAE Aerodesign East Competition, em 2020, nos EUA, onde equipes brasileiras já acumulam histórico expressivo de participações: oito primeiros lugares na Classe Regular, quatro na Classe Advanced e um na Classe Micro.

A SAE Aerodesign East Competition é realizada pela SAE International, da qual a SAE BRASIL é afiliada.

Organizado pela Seção Regional São José dos Campos, da SAE BRASIL, o Projeto AeroDesign é programa de fins educacionais que tem como objetivo propiciar a difusão e o intercâmbio de técnicas e conhecimentos de engenharia aeronáutica entre estudantes e futuros profissionais da engenharia da mobilidade, por meio de aplicações práticas e competição entre equipes, formadas por estudantes de graduação e pós-graduação de Engenharia, Física e Tecnologia relacionada à mobilidade. A Competição é realizada anualmente desde 1999.

Reconhecida pelo Ministério da Educação, a competição é patrocinada pelas empresas: Airbus, Embraer, GE, Liebherr Aerospace, Parker Hannifin, Rolls-Royce e United Technologies. Também conta com o apoio das instituições: ADC Embraer, APVE, DCTA, ITA, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Prefeitura de São José dos Campos e São José dos Campos Convention & Visitors Bureau. Mantém parcerias com:  Emercor Pronto Vida, Hotel Nacional Inn, Novotel e Portal de Engenharia Aeronáutica.

 

21ª Competição SAE BRASIL AeroDesign

Dia 24 – das 8h30 às 17h – solenidade de abertura, showroom dos projetos e apresentações orais das equipes no ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) – Prédio de Eletrônica e Computação.

Dias 25, 26 e 27 – das 7h30 às 18h – Competição de voo no Aeroporto do DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) – aberta ao público. Entrada pela avenida Faria Lima, ao lado do MAB, em São José dos Campos/ SP.

DEIXE UMA RESPOSTA