B-2 Spirit
B-2 Spirit

O bombardeiro B-2, utilizado exclusivamente pela Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), é o avião mais caro do mundo, além de ter tecnologias exclusivas do modelo. Criado na década de 80, o B-2 sempre teve a concepção para ser uma aeronave inovadora e com baixa assinatura de radar.

Devido ao alto custo por unidade produzida, cerca de US$ 2 bilhões, somente 21 bombardeiros deste modelo foram fabricados, e 20 estão em atividade atualmente.

E em 2019 um jornalista teve a oportunidade única de voar dentro do B-2, sendo que seu interior é basicamente composto pelo cockpit. Essa foi uma rara das vezes que a USAF mostrou um pouco mais do B-2.

O documentarista Jeff Bolton gravou o curto vídeo abaixo, mostrando um cockpit bem moderno, comandando por somente dois pilotos, e já no esquema Glass Cockpit. Vale ressaltar que o B-2 é equipado com sistema de controle de voo Fly-By-Wire, sendo que o manche na realidade é um sidestick, instalado de uma maneira bem similar aos caças.

Veja no vídeo abaixo:

Pela complexidade de movimentos, devido ao formato de asa única do B-2, as superfícies de comando aerodinâmicas são distribuídas ao longo da fuselagem, e comandadas pelo computador, que converte os inputs do piloto na movimentação desejada para o bombardeiro.

Um vídeo postado pelo canal do YouTube “Saint1 Aviation Vids”, mostra um B-2A Spirt movendo suas superfícies de comando, a imagem mostra com detalhes os elevons e lemes do bombardeiro em ação. Estes são responsáveis pelo movimento do B-2 em três direções diferentes (Vertical, Transversal e Longitudinal).

Por este motivo é complexo, um único componente precisa controlar praticamente todos os eixos possíveis de deslocamento do avião, e o acionamento de cada superfície é regulado por computador.

As filmagens foram feitas na base aérea de Fairford, no Reino Unido, em março de 2020. Na época os bombardeiros dos EUA estavam cumprindo uma missão de Força-Tarefa de bombardeiros na Europa.

O B-2 pode carregar 23 toneladas de bombas convencionais, guiadas, nucleares ou mísseis ar-solo. Atualmente a Northrop trabalha junto à USAF no desenvolvimento do B-21 Raider, novo bombardeiro stealth que deve substituir tanto o B-2 quanto o B-1B Lancer no futuro.

 

DEIXE UMA RESPOSTA