O famoso Boeing B-29 Superfortress é um clássico da aviação militar e até hoje está no roll das aeronaves militares de grande destaque.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os bombardeiros fizeram um papel fundamental no conflito global, inclusive finalizando conflitos e batalhas e certamente o que marcou o fim da Guerra em 1945 foi o lançamento pelos EUA de duas bombas atômicas (Little Boy e Fat Boy) nas cidades japoneses de Hiroshima e Nagasaki e o B-29 Superfortress foi usado neste inédita missão.

Explsão da bomba atômica de Hiroshima, em 6 de agosto de 1945. Ambas as bombas atômicas foram lançadas de um B-29- Foto: Getty Images

O legado do B-29 muito se baseia nesta que provavelmente foi a maior missão da aeronave, mas outros números também são destaques, a começar pelo número de aeronaves produzidas que até o final dos anos 60 foram construídos 2.766. Isto mostra o quão focado os EUA estavam em produzir aviões, navios, tanques, armas dentre outras coisas bélicas, afinal as guerras são um mercado muito lucrativo.

Mais um pouco da História:

O tamanho da aeronave bem como seus quatro motores a hélice chamavam a atenção.De uma ponta a de asa a outra o B-29 tinha 46,03m, comprimento 30,18m e peso bruto 54 000 kg. Mas os números não são apenas grandes nas especificações, durante o desenvolvimento da aeronave cerca de 50 mil operários trabalharam e o preço por unidade custou 1 milhão de dólares.

O desenvolvimento do B-29 está ligado a outro clássico bombardeiro da II Guerra Mundial o B-17 Flying Fortress, que teve um grande destaque pela USAF durante a 2º guerra, bem como aqui no Brasil pela FAB em missões de reconhecimento.

A fortaleza Voadora fez seu primeiro voo nos anos 30 e já apresentava algumas coisas que favoreciam bastante dentro do cenário de guerra. Como por exemplo sua capacidade total de peso bruto de 24 500 Kg e isso o possibilitava de levar bombas de até 7 800 Kg, além das metralhadoras. Um dos recordes de lançamentos de bombas foi por meio do B-17 que só no período da guerra foram lançadas mais de 500 mil bombas.


B-17 Flying Fortress- Foto: Arquivo Boeing

Falamos um pouco do B-17 para voltar a falar o B-29, pois mesmo tendo resultados bem positivos com a fortaleza voadora, os EUA queriam algo maior e que levasse mais bombas.

Curiosidades:

  • O B-29 ficou conhecido pelo seu papel destruidor na II Guerra, mas o avião foi retirado de serviço só nos anos 60 e a 2º Guerra Mundial acabou em 1945, ou seja, até sua aposentadoria outros conflitos existiram, entre eles a Guerra Fira e a da Coreia, onde o temido B-29 foi empregado.
  • O B-29 teve uma ‘cópia’, os soviéticos fabricaram o TU-4 uma aeronave que muito se parecia com o B-29, principalmente na fuselagem. Porém, o projeto soviético nunca chegou a ser usado em combate.
Tupolev TU-4- Foto: Via web
  • Os primeiros B-29s foram construídos antes do término dos testes, então o Exército estabeleceu centros de modificação onde mudanças de última hora podiam ser feitas sem diminuir a expansão das linhas de montagem.
  • O B-29 usou a asa de alta velocidade do Boeing 117, e seus flaps Fowler maiores foram adicionados à área das asas à medida que aumentavam a sustentação. As modificações levaram ao B-29D, atualizado para o B-50, e aos aviões de reconhecimento fotográfico RB-29. Outras melhorias foram naceles mais aerodinâmicas, abas maiores, trem de pouso de fuso de esferas com retração rápida, aumento do leme hidráulico, direção hidráulica do volante do nariz e degelo de asas aquecidas. Ele também tinha uma cauda vertical mais alta que se dobrava quando o bombardeiro entrava em hangares de tamanho padrão. A asa do B-50, fabricada com a nova liga de alumínio 75ST, era 16% mais forte e 272 kg mais leve que a asa idêntica do B-29.
B-50- Foto: Arquivo Boeing
  • Em pleno século XXI ainda há unidades do B-29 voando, mas somente em airshows, como forma de assim demonstrar e incentivar a história da aviação. Hoje apenas dois B-29 estão em condições de voo, são eles o DOC e a FIFI, que sempre estão presentes nos principais airhows dos WUA, como Oskhosh, por exemplo.

Neste vídeo abaixo vemos o B-29 (DOC) fazendo sua grandiosa chegada na Oskhosh 2019:

 

Ficha Técnica:

Velocidade máxima

587 km/h

Velocidade de cruzeiro

354 km/h

Alcance

9382 km

Teto

31850 pés

Poder

Quatro motores Wright Double Cyclone de 2.200 cavalos de potência

Alojamento

10 tripulantes

Armamento

12 metralhadoras de calibre 50, 1 canhão de 20 mm, carga de bomba de 20.000 libras

 

Fonte de apoio: Arquivo Boeing