Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Índia Vacina Covid-19 pilotos
Boeing 747-400 com o Primeiro-Ministro Narendra Modi, decolando de Brasília após o encontro do BRICS em 2019

A Direção Geral de Aviação Civil na Índia, emitiu uma norma que impede os pilotos de todas as companhias aéreas que forem vacinados, a não exercerem suas funções por pelo menos 48 horas. A medida foi considerada pela Índia, após saber de relatos de sintomas pós vacina contra a Covid-19.

O documento emitido ontem(10) pelo governo indiano junto a Direção Geral de Aviação da Índia, torna os pilotos incapazes de exercer suas funções por 48 horas. Após esse período, o tripulante não sentindo nenhum sintoma após a vacinação, está liberado para realizar voos.

Caso algum piloto venha a sentir sintomas após tomar a vacina contra a Covid-19, o mesmo deverá passar por uma avaliação médica. A avaliação e aprovação vai ser feita pela companhia aérea do tripulante, as condições para se tornar apto estão em não sentir nenhum sintoma e nem necessitar de nenhuma medicação.

Fonte: Airbus

Também há uma condição de que se o tripulante sentir algum sintoma após 14 dias, ele será avaliado novamente e será afastado. As companhias aéreas estão buscando junto ao Ministério da Saúde da Índia, vacinar todos os seus tripulantes. A IndiGo por exemplo, disse que irá custear todas as vacinas para seus tripulantes, buscando não afetar suas operações.

“Estamos trabalhando para facilitar a vacinação da Covid-19 a todos os nossos funcionários de maneira simplificada, a fim de garantir que todos os nossos funcionários sejam vacinados, ao mesmo tempo que garantimos que nossas operações não sejam afetadas durante o processo. Patrocinaremos as vacinas para nossa equipe e facilitaremos para suas famílias”. Disse a IndiGo em comunicado.

A vacinação na Índia se iniciou em meados de janeiro, e até o momento o país está em sua segunda fase de vacinação, que abrange pessoas com 60 anos ou mais e pessoas até 59 anos com doenças que podem causar maiores riscos com a Covid-19.