Curiosidade: Por qual motivo o avião U-2 precisa de um potente carro da Tesla para decolar?

A aviação é um meio com inúmeras curiosidades, e certamente uma delas é a operação do Lockheed U-2, ou Dragon Lady como também é conhecido.

Essa é uma aeronave da USAF de reconhecimento que foi muito usada na Guerra Fria. Ela pode voar a grandes altitudes para ter uma ampla visualização do território inimigo. Atualmente a USAF opera algumas unidades do U-2.

Foto – USAF

Contudo, para que a aeronave possa realizar seus voos altos, ela precisa taxiar e decolar e isso envolve algumas técnicas exclusivas para que tudo dê certo.

O U-2 foi projetado para ser eficaz nas missões espiãs e o fator peso foi levado em consideração. O planejamento levou a criação de uma aeronave leve que tem apenas dois conjuntos de trem de pouso. Sendo um principal logo atrás do cockpit e uma pequena roda na região do motor.

Devido a isso, o U-2 tem duas pequenas rodas nas pontas das asas que são usadas no taxiamento, porém, assim que ele adquira velocidade ele se mantém equilibrado apenas nas rodas principais.

U-2 Dragon Lady- Foto: U.s Airforce Master Sgt. Rose Reynolds

Aí entra o fator curioso. Quando o U-2 começa a corrida para decolagem é acompanhado por dois carros, inclusive um Tesla que eles utilizam nos dias atuais, cada um fica próximo a uma asa, eles estão lá justamente para assegurar que nada aconteça, pois dentro dos carros existe uma equipe que vai informando ao piloto sobre a condição de equilíbrio da aeronave, até que a mesma adquira sustentação necessária para sair do chão.

 

Outra aeronave da USAF que tem algo  de similar ao U-2, é o clássico bombardeiro B-52H Stratofortress, bombardeiro de oito motores e de uma envergadura de 56 metros. O avião tem pequenas rodas nas pontas das asas que auxiliam no taxiamento da aeronave.

Bombardeiro B-52 da USAF aterrissa em Fairford, Reino Unido. Foto: USAF/ Airman 1st Class Tessa B

DEIXE UMA RESPOSTA