Delta Airlines
Foto: Delta Air Lines/Divulgação.

Ao dar as boas-vindas aos clientes que voltam a voar, a Delta, junto às companhias que são suas parceiras globais, está focada em tornar a viagem mais fácil em todas as etapas da jornada.

E isso inclui otimizar a circulação dos viajantes e o tempo envolvido no processo de conexão, já que o tempo apertado para sair de um voo da Delta para um operado por uma empresa aérea parceira pode ser um momento de alta pressão para os passageiros.

Onde fica o próximo portão de embarque? Está em outro terminal? Quanto tempo vai demorar para chegar lá?

É por isso que a Delta tem trabalhado para colocar suas operações no mesmo terminal de seus parceiros nos principais aeroportos dos Estados Unidos e internacionais, para que as conexões sejam feitas da forma mais integrada possível.

Atualmente, a companhia está colocalizada no mesmo terminal de companhias associadas em 18 aeroportos norte-americanos e em 11 de seus principais hubs internacionais.

E, nos próximos 12 meses, a Delta aumentará a proximidade de localização com parceiros em centros aeroportuários importantes, como Seattle, Los Angeles, Chicago e Boston, bem como em Santiago, no Chile.

“Estar no mesmo terminal e em portões de embarque adjacentes significa que os clientes podem mover-se de forma rápida e fácil de uma aeronave para outra, com nossas equipes à disposição para oferecer suporte, se necessário”, disse o vice-presidente executivo e presidente Internacional, Alain Bellemare. “Ninguém quer correr para um voo de conexão em outro terminal, então estamos trabalhando em estreita colaboração com nossos parceiros para identificar novas oportunidades de aproximar nossas operações para que os viajantes possam sentar, relaxar e aproveitar sua jornada”.

Para os clientes, isso significa:

  • Ter balcões de check-in e de atendimento ao cliente e portões de embarque da Delta ao lado de uma companhia parceira, no mesmo terminal, o que não só propicia uma oportunidade para sinalização mais eficaz e melhor orientação para os clientes ao conectar de um avião para outro, mas também garante que haja equipes disponíveis para dar suporte, se for preciso.
  • Do ponto de vista operacional, ter as empresas aéreas colocalizadas no mesmo terminal do aeroporto, com portões de embarque adjacentes, significa que as equipes podem trabalhar mais conjuntamente para melhorar a coordenação da conexão para os clientes e suas malas, caso um voo atrase.
  • O tempo mínimo de conexão para os passageiros é reduzido quando as duas companhias estão no mesmo terminal, proporcionando mais opções de voos seguintes. Por exemplo, no Aeroporto Internacional de Incheon, em Seul (Coreia do Sul), a Delta está no Terminal 2 de última geração com a Korean Air, Air France e KLM, permitindo que um cliente se conecte em 45 minutos para mais de 80 destinos na Ásia.

A colocalização é apenas uma peça do quebra-cabeça, já que as companhias trabalham em colaboração para criar uma jornada sem dificuldade para os viajantes que farão conexão entre um voo da Delta e o de uma empresa aérea parceira.

Juntas, elas estão analisando todos os aspectos das viagens atuais e futuras, em solo e no ar, para garantir uma experiência perfeita para todos os clientes. Para saber mais, visite a página de Alianças no site delta.com.

As informações em português também estão aqui. E, para ficar a par de todas as novidades da Delta, clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA