A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) divulgou os resultados dos mercados globais de transporte aéreo de carga de abril de 2022, que mostraram queda da demanda e redução da capacidade.

Os efeitos da variante Ômicron na Ásia, o conflito entre a Rússia e a Ucrânia e o cenário operacional desafiador contribuíram para esse declínio.

  • A demanda global, medida em toneladas-quilômetro de carga (CTKs*), caiu 11,2% em relação a abril de 2021 (-10,6% para operações internacionais). A demanda global caiu 1% em relação a abril de 2019.
  • A capacidade ficou 2% abaixo daquela registrada em março de 2021 (+1,2% para operações internacionais). Tanto a capacidade global quanto a internacional diminuíram ligeiramente em abril em relação a março. A Ásia apresentou as maiores quedas de capacidade.
  • Os principais fatores no ambiente operacional devem ser observados:
    • A guerra na Ucrânia causou queda na capacidade de transporte de carga que serve a Europa, pois várias empresas aéreas importantes para o transporte de carga são da Rússia e Ucrânia. E a política de tolerância zero contra a COVID-19 na China causou problemas de capacidade devido a cancelamentos de voos devido à escassez de mão de obra.
  • Os novos pedidos de exportação, um indicador importante da demanda de carga e do comércio mundial, estão encolhendo em todos os mercados, exceto nos Estados Unidos. O comércio global de produtos continua diminuindo em 2022, com a economia da China crescendo de forma mais lenta devido às restrições relacionadas à COVID-19 (entre outros fatores). Os lockdowns paralisaram grande parte do maior porto do mundo, em Xangai. As interrupções na cadeia de suprimentos devido ao conflito entre Ucrânia e Rússia também aumentam a pressão de queda no comércio.

“A demanda de carga aérea caiu 11,2% em abril e a capacidade diminuiu 2% em relação a abril de 2021. A combinação da guerra na Ucrânia e os fechamentos na China por causa da COVID-19 aumentaram os custos de energia, intensificaram as interrupções na cadeia de suprimentos e elevaram a inflação. O ambiente operacional é desafiador para todos os negócios, incluindo a carga aérea. Mas com a China diminuindo as restrições, há motivos para otimismo e o desequilíbrio entre oferta e demanda está mantendo os rendimentos altos”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

 

Desempenho por região em abril de 2022

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico relataram queda de 15,8% nos volumes de carga aérea em abril de 2022 em comparação com o mesmo mês de 2021. Este foi o pior desempenho entre todas as regiões e significativamente menor que no mês anterior (-5,1%). As companhias aéreas da região foram fortemente impactadas pela queda na atividade comercial e industrial devido às paralisações relacionadas à variante Ômicron na China. Por conta disso, a capacidade disponível na região caiu 19,4% em relação a abril de 2021, a maior queda de todas as regiões.

As transportadoras da América do Norte registraram queda de 6,6% nos volumes de carga aérea em abril de 2022 em relação a abril de 2021. A demanda no mercado Ásia-América do Norte diminuiu significativamente, mas outras rotas importantes, como Europa-América do Norte, permanecem fortes. A capacidade aumentou 5,2% em relação a abril de 2021. Várias transportadoras da região devem receber novos cargueiros em 2022, e isso deve ajudar a atender à demanda reprimida em rotas onde for necessário.

As transportadoras da Europa relataram queda de 14,4% nos volumes de carga aérea em abril de 2022 em comparação com o mesmo mês de 2021. O mercado interno da Europa teve queda significativa de 24,6% em relação ao mês anterior, que foi atribuída à guerra na Ucrânia. A escassez de mão de obra e a menor atividade da manufatura na Ásia devido à variante Ômicron também afetaram os volumes. A capacidade caiu 0,2% em abril de 2022 em relação a abril de 2021.

As transportadoras do Oriente Médio registraram queda 11,9% nos volumes de carga aérea em abril de 2022 versus abril de 2021. Os benefícios significativos do redirecionamento do tráfego para não sobrevoar a Rússia não se materializaram. Isso provavelmente se deve aos problemas persistentes na cadeia de suprimentos na Ásia. A capacidade aumentou 6% em relação a abril de 2021.

As transportadoras da América Latina relataram aumento de 40,9% nos volumes de carga aérea em abril de 2022 em relação ao mesmo mês de 2021. Este foi o melhor resultado entre todas as regiões. As companhias aéreas da região mostraram otimismo e introduziram novos serviços e capacidade e, em alguns casos, investiram em aeronaves adicionais para carga aérea nos próximos meses. A capacidade em abril aumentou 67,8% em relação ao mesmo mês de 2021.

As companhias aéreas da África registraram queda de 6,3% nos volumes de carga aérea em abril de 2022 versus abril de 2021. Esse resultado foi significativamente menor que o crescimento registrado no mês anterior (3,1%). A capacidade ficou 1,5% abaixo do nível registrado em abril de 2021.

 

Veja a análise do mercado de transporte aéreo de carga de abril de 2022 (pdf)