Foto - Divulgação

A Concessionária do Aeroporto de Salvador – integrante da rede VINCI Airports –, que administra o aeroporto da capital baiana desde janeiro de 2018, homologou em outubro o portão eletrônico (e-Gate) Gunnebo ImmSec, uma solução automatizada para o controle de fronteira e áreas de imigração.

A empresa de origem sueca que é referência no Brasil como fornecedora de equipamentos de proteção eletrônica para o varejo, a Gunnebo (www.gunnebo.com.br) quer agora também ganhar espaço no país com as suas soluções Entrance Control, já amplamente utilizadas especialmente na Europa.

O ImmSec possui dispositivos de reconhecimento biométrico facial, além de verificação de autenticidade dos dados do passaporte via chip e escaneamento do documento, checando os vários níveis de segurança, muitos deles invisíveis a olho nu, que os passaportes possuem, garantindo assim a autenticidade do documento.

Após essa validação inicial, os dados são enviados para o sistema integrado da Polícia Federal, que “decide” se o passageiro está apto, ou não, a entrar ou sair do país. Tudo isso em apenas alguns segundos, acelerando todo o processo, além de dar mais segurança às autoridades locais.

Pelo processo manual, com passagem pelo balcão e guichê, o turista gasta cerca um minuto em toda a operação. Em um processo automatizado, ele levará, em média, cerca de 30 segundos, o que representa uma redução considerável no tempo de atendimento.

“Ganham o turista, que é liberado rapidamente com a automatização do processo de entrada e coleta de dados; o aeroporto, que reduz o tempo de fila, garantindo passageiros mais satisfeitos e com mais tempo livre para usufruir da estrutura de serviços e compras, e também as autoridades policiais, que aumentam a segurança com a integração de tecnologia biométrica”, afirma Marcelo Andrade, gerente de Desenvolvimento de Produtos da Gunnebo.

A operacionalização atual do portão de imigração é uma parceria desenvolvida com a Gunnebo para permitir sua entrada no mercado brasileiro, através da realização de uma Prova de Conceito (PoC). Em setembro, após tratativas entre a VINCI Airports e a Polícia Federal, foram realizados testes com funcionários do próprio aeroporto.

Em outubro, foram processados passageiros reais sob acompanhamento de agentes da Polícia Federal.

A partir do dia 9 de dezembro, ele passou a ser utilizado em condições reais com brasileiros oriundos de rotas do exterior. Sua aquisição ainda não foi confirmada pelo Aeroporto de Salvador.

Ampliando a capacidade de atendimento – A possibilidade de aquisição do ImmSec pela VINCI Airports, administradora de 46 aeroportos em 12 países, acompanha o momento de investimentos na infraestrutura do aeroporto baiano. A implantação do equipamento no desembarque internacional irá auxiliar a entrada de brasileiros vindos do exterior.

DEIXE UMA RESPOSTA