A Embraer pretende garantir mais pedidos para a menor variante E-Jet E2 nos próximos meses, visto que está procurando novos clientes fora dos EUA para o E175-E2.

O primeiro E175-E2, movido a Pratt & Whitney PW1700G, foi lançado em 12 de dezembro, apesar da Embraer não ter atualmente nenhum pedido firme para o último derivado dos novos E-Jet a ser desenvolvido.

Embora não haja pedidos firmes no momento, a Embraer mantém compromissos contratuais das transportadoras norte-americanas SkyWest e Trans States, que estão sujeitas a uma alteração nos regulamentos de aviação regional dos EUA para permitir que o E175-E2 seja compatível com as operações.

O executivo-chefe da Embraer Commercial Aviation, John Slattery, disse à FlightGlobal durante a semana de finanças da aviação em Dublin, que os testes de voo estão progredindo em “uma linha do tempo de dois anos para a certificação”, em 2021.

“Minha equipe está trabalhando para garantir pedidos firmes no primeiro semestre deste ano fora dos EUA e temos um alto grau de confiança em [garantir] pedidos significativos. Há muita demanda na Europa continental ocidental e no sudeste da Ásia e em outras jurisdições”, disse Slaterry.

Ele acrescenta que os alvos em potencial provavelmente são os clientes atuais do E175-E1, para os novos E175-E2.

“Fomos questionados por que a certificação não ocorre um pouco mais rápido, dado o nosso histórico com a [certificação] do E195-E2 após o E190-E2. Mas este é um avião diferente – asas diferentes, trem de pouso, empenagem e motores”, diz Slattery.


Enquanto isso, a produção do E175-E1 original poderia continuar ao lado da nova variante, devido a produção híbrida em São José dos Campos, enquanto a Embraer aguarda a mudança das cláusulas de incentivo à aviação regional dos EUA.

 

DEIXE UMA RESPOSTA