Embraer E195-E2
Foto - Embraer/Reprodução

A Embraer divulgou ontem os seus dados de entregas e encomendas de aeronaves no 1ª trimestre de 2021, com um bom resultado para o período, similar ao mesmo trimestre em 2019, antes da crise.

Clique Aqui para ver os dados de entregas de aeronaves no 1º trimestre.

Conjuntamente a Embraer apresentou os seus dados da carteira de pedidos. Nos últimos meses a fabricante teve uma considerável redução na sua carteira de pedidos, apesar de ainda computar US$ 14,2 bilhões em futuras entregas de aviões comerciais.

No fim do 1º trimestre a Embraer ainda tinha 272 pedidos firmes a entregar no setor de aviação comercial, o que mantém a produção de aeronaves por 90 meses (7 anos e 6 meses), considerando a produção média de 3 aviões E-Jets por mês, como no último trimestre.

No entanto, a cada ano a carteira de pedidos de aviões comerciais está reduzindo, até mesmo antes da crise, ao contrário da Airbus e Boeing.

No 1º trimestre de 2019 a Embraer tinha uma carteira de pedidos para 359 aviões, que se reduziu para 318 aviões um ano depois, no 1º trimestre de 2020, e agora registra 272 aviões que ainda serão entregues.

A carteira de pedidos da aviação executiva não é abertamente divulgada pela Embraer.

 

Nota do editor: A Embraer divulgou na manhã de hoje (29) que recebeu uma encomenda para 30 aviões E195-E2. Com esse pedido o total de aeronaves encomendadas e que ainda serão fabricadas vai para 302, juntamente o período de produção aumenta em mais 10 meses, considerando a mesmo média de 3 aviões por mês, que pode subir com a retomada do mercado de aviação.

 

Em comentário ao Portal Aeroflap sobre os dados apresentados pela Embraer, a Ativa Research disse:

A Embraer entregou 9 jatos comerciais e 13 jatos executivos no 1T21.

Ainda que o dado seja:

I) superior ao entregue no 1T20, quando a companhia 5 aeronaves comerciais e 9 executivas;
II) parelhos ao número do 1T19, quando foram entregues 11 aeronaves comerciais e 11 executivas;
iii) qualitativamente superior aos dois períodos antecedentes quanto a aviação comercial, uma vez que a companhia conseguiu entregar um número maior de aeronaves de nova geração (7 vs. 2 vs. 1);
iv) indicativo positivo sobre trabalho feito pela companhia para acelerar as entregas no 1T21.

Acreditamos que o backlog ainda apresente um considerável hiato frente aos trimestres anteriores. Ao reportar uma carteira firme de pedidos de US$ 14,2, Embraer mostra números 11,3% inferiores à 2019 e 10,7% menor vs. 2T20, o que também pode ser comprovado através do número de aeronaves a ser entregue, que está em 272 vs. 318 no 1T20 e 359 no 1T19.

Em suma, os números evidenciam que a companhia segue com o árduo trabalho comercial para costurar novos contratos e suprir a defasagem quantitativa que seu relatório demonstra.