A Emirates optou por encomendar o Boeing 787-10 Dreamliner em 2017, após anos de indecisão com a resultante de uma encomenda de várias aeronaves do modelo A350-900 ser cancelada.

Mas no novo planejamento de frota da companhia ela exclui totalmente o 787-10 Dreamliner, mas manteve a presença das encomendas para 40 aviões A330-900neo e 30 do modelo A350-900XWB, todos da Airbus.

A Emirates também declarou no planejamento de frota que espera receber mais 14 aeronaves A380 e 150 jatos da família Boeing 777X.

Os dados financeiros de 2017-2018 da Emirates acrescentavam a presença do 787-10 a partir de 2022, diferente da última divulgação da empresa, sem a presença dessas aeronaves, na lista de encomendas da Boeing não há presença dessa encomenda, e a companhia não realizou uma seleção de motores até o momento.

A Emirates está desde o final de 2018 passando por uma grande reformulação de frota, diminuindo o número de encomendas para o A380, padronizando as suas aeronaves da família 777 e realizando encomendas de aviões de nova geração.

Apesar disso, a companhia ainda não se pronunciou oficialmente sobre a encomenda para o 787-10, fabricado pela Boeing.