Emirates Dubai
Foto: Emirates

O Grupo Emirates divulgou hoje o seu Relatório Anual 2021-2022, que mostra uma forte recuperação em todos os seus negócios.

A dnata voltou a obter lucros, e foram relatadas melhorias significativas na receita da Emirates e dnata, enquanto o Grupo retomou suas operações de transporte aéreo e viagens, que haviam sido reduzidas ou restringidas por causa da pandemia da COVID-19.

Para o ano fiscal encerrado em 31 de março de 2022, o Grupo Emirates registrou prejuízo de AED 3,8 bilhões (US$ 1,0 bilhão) em relação ao prejuízo de AED 22,1 bilhões (US$ 6,0 bilhões) no ano passado.

Continua depois do anúncio

A receita do Grupo foi de AED 66,2 bilhões (US$ 18,1 bilhões), um aumento de 86% em relação aos resultados também do ano anterior.

O saldo de caixa do Grupo foi de AED 25,8 bilhões (US$ 7,0 bilhões), um aumento de 30% em relação ao ano que passou, principalmente devido à forte demanda em suas principais divisões de negócios e mercados, resultado da flexibilização das restrições relacionadas à pandemia.

Sua Alteza o Xeique Ahmed bin Saeed Al Maktoum, presidente e CEO da Emirates Airline e do Grupo Emirates, disse que “este ano, a companhia se concentrou em restaurar as operações com rapidez e segurança, nos locais onde as restrições relacionadas à pandemia diminuíram nos mercados. A recuperação dos negócios acelerou, principalmente na segunda metade do ano. A forte demanda dos clientes levou a uma grande melhoria em nosso desempenho financeiro em comparação com nossas perdas sem precedentes do ano passado, ajudando a construir um forte saldo de caixa.”

Continua depois do anúncio

Ele também falou sobre a qualidade de vida dos funcionários e clientes em meio às dificuldades da crise de saúde: “A saúde e a segurança do nosso pessoal e dos nossos clientes continuaram uma prioridade central enquanto o mundo estava em seu segundo ano de pandemia. Na Emirates e na dnata, respondemos às condições dinâmicas do mercado com agilidade e introduzimos produtos e serviços inovadores para atender às necessidades dos nossos clientes e fornecer a melhor experiência possível.”

Por fim, o Xeique completa dizendo que “o período de 2021-2022 também foi importante, pois os Emirados Árabes Unidos comemoraram seu 50º aniversário e receberam pessoas do mundo todo na Expo 2020 Dubai, gerando um aumento no envolvimento global e no número de visitantes nos Emirados Árabes Unidos. O Grupo Emirates se sentiu orgulhoso de contribuir para o sucesso da Expo e para os eventos do jubileu dos Emirados Árabes Unidos.”

Em 2021-22, a Emirates recebeu mais uma injeção de capital de AED 3,5 bilhões (US$ 954 milhões) de seu acionista principal, o Governo de Dubai, e o Grupo aproveitou vários programas de apoio ao setor, obtendo uma ajuda total de quase AED 0,8 bilhão em 2021-22.

Continua depois do anúncio

À medida que a Emirates e a dnata intensificavam as operações, os funcionários anteriormente em licença ou despedidos foram chamados de volta e recontratados, e novas campanhas de recrutamento foram realizadas para expandir o pool de talentos do Grupo e aumentar suas capacidades futuras.

Com isso, a força de trabalho total do Grupo aumentou 13%, atingindo 85.219 funcionários, que representam mais de 160 nacionalidades diferentes.

Ainda neste período, o Grupo investiu coletivamente AED 7,9 bilhões (US$ 2,2 bilhões) em novas aeronaves e instalações e nas mais recentes tecnologias para posicionar os negócios para recuperação e crescimento futuro.

Continua depois do anúncio

Também continuou avançando em sua estratégia ambiental focada na redução das emissões de carbono, no consumo responsável de recursos e na conservação da vida selvagem e dos habitats.

Durante o ano, o Grupo apoiou iniciativas comunitárias, humanitárias e filantrópicas em seus diversos mercados e incubadoras de inovação e outros programas que desenvolvem soluções futuras para o crescimento do setor.

Em análise de 2021-22, o Xeique Ahmed disse que “para o Grupo Emirates, o período foi em grande parte dedicado à recuperação, após o ano mais difícil da história do Grupo. Não se trata apenas de restaurar a capacidade, mas também de aumentar as capacidades futuras enquanto nos reconstruímos. Nosso objetivo é construir de uma maneira melhor e mais forte, para fornecer experiências ainda melhores aos nossos clientes e oferecer mais suporte às comunidades que atendemos.”

Continua depois do anúncio

Para 2022-23, as expectativas são de que Grupo volte a obter lucro, “para isso — o Xeique Ahmed explica –, estamos trabalhando muito para atingir nossas metas, observando de perto as condições desfavoráveis, como altos preços dos combustíveis, inflação, novas variantes da COVID-19 e incerteza política e econômica. Nossos investimentos constantes em infraestrutura, tecnologia, pessoas e parcerias continuarão a nos garantir a capacidade e a vantagem de fornecer produtos e valor líderes do setor aos nossos clientes. À medida que Dubai e os Emirados Árabes Unidos avançam em sua estratégia para os próximos 50 anos e além, o Grupo Emirates está bem posicionado para desempenhar seu papel de contribuir para o crescimento econômico, facilitar o envolvimento global e causar um impacto positivo nas pessoas e comunidades.”

 

Desempenho da Emirates

A capacidade total de carga e passageiros da Emirates aumentou 47%, atingindo 36,4 bilhões de ATKMs em 2021-22, enquanto a companhia aérea restabeleceu seus serviços de passageiros de sua rede, conforme a flexibilização das restrições de voos e viagens relacionadas à pandemia.

No início do ano fiscal, a companhia mantinha operações para 120 destinos, e ao longo do período, aumentou suas operações e capacidade, atingindo mais de 140 destinos em 31 de março de 2022. Desta forma, ela conseguiu responder dinamicamente e atender à demanda dos clientes onde foram observadas oportunidades, graças à resiliência de seu pessoal e ao seu modelo de negócios. Em julho, a companhia aérea lançou uma nova rota para Miami, elevando para 12 o total de gateways de passageiros nos Estados Unidos.

Para atender à forte recuperação da demanda de viagens, a Emirates começou a usar sua principal aeronave A380 em novas cidades durante o ano, elevando a rede atendida pela aeronave A380 para 29 destinos em 31 de março de 2022.

Ajudando os viajantes a acessar ainda mais destinos, em 2021-22, a empresa reforçou suas parcerias estratégicas com a Qantas e a flydubai e expandiu suas parcerias interline e codeshare na Europa, Américas, África e Ásia, incluindo: Aeromar, airBaltic, Airlink, Azul, Cemair, Garuda Indonesia, Gulf Air, Maldivian, South African Airways e TAP Air Portugal. Ela também assinou acordos e lançou iniciativas com parceiros do setor de turismo em vários destinos para apoiar a recuperação das viagens e do turismo.

A Emirates recebeu suas últimas cinco novas aeronaves A380 durante o ano fiscal, todas equipadas com os mais recentes interiores de cabine, incluindo assentos Premium Economy. Também retirou da operação duas aeronaves mais antigas: 1 Boeing 777-300ER e 1 cargueiro, deixando sua frota total em 262 no final de março. A frota da Emirates permanece jovem, com idade média de 8,2 anos.

Foto – Emirates/Divulgação

Os pedidos da Emirates de 197 aeronaves permanecem inalterados no momento. A companhia aérea continua comprometida com sua estratégia de operar uma frota moderna e eficiente, que reforça a promessa da marca “Fly Better”, já que aeronaves jovens são melhores para o meio ambiente, melhores para as operações e melhores para os clientes.

Com capacidade significativamente aprimorada na maioria dos mercados, a receita total no ano fiscal aumentou 91%, atingindo AED 59,2 bilhões (US 16,1 bilhões). As flutuações cambiais este ano impactaram negativamente a lucratividade da companhia aérea em AED 348 milhões (US$ 95 milhões).

Os custos operacionais totais aumentaram 30% em relação ao ano fiscal anterior. O custo de propriedade (depreciação e amortização) e o custo do combustível foram os dois componentes de maior custo para a empresa em 2021-22, seguidos pelo custo com funcionários. O combustível representou 23% dos custos operacionais em comparação com 14% em 2020-21.

Os gastos da Emirates com combustível mais que dobraram, atingindo AED 13,9 bilhões (US$ 3,8 bilhões) em relação ao ano anterior, devido ao uplift maior de 66%, relacionado à expansão da capacidade e preço médio do combustível mais alto, que subiu 75%.

Com a flexibilização das restrições de voos e viagens relacionadas à pandemia em todo o mundo, foi possível melhorar substancialmente os resultados financeiros, relatando a perda de AED 3,9 bilhões (US$ 1,1 bilhão) em relação à perda de AED 20,3 bilhões (US$ 5,5 bilhões) registrada no ano passado, e percentual de perda de 6,6%, significativamente melhor em comparação com 65,6% no ano passado.

A Emirates transportou 19,6 milhões de passageiros (aumento de 199%) em 2021-22, com aumento de 150% na capacidade de assentos. A companhia aérea relatou taxa de ocupação de assentos de passageiros de 58,6%, em relação à mesma taxa registrada no ano passado de 44,3%; e queda de 10% no rendimento por passageiro para 35,1 fils (9,6 centavos de dólar) por passageiro pagante-quilômetro (RPK – Revenue Passenger Kilometer), devido as mudanças nas rotas, tarifas e moeda.

Os resultados de taxa de ocupação de assentos e rendimento não podem ser comparados com o desempenho do ano fiscal anterior devido à situação incomum de pandemia ainda em andamento.

A firma continuou investindo em seus produtos e serviços para fornecer experiências cada vez melhores aos clientes. Este ano, anunciou um grande programa de reforma para equipar 120 das suas aeronaves 777 e A380 com os novos assentos Premium Economy e os mais recentes interiores de cabine.

Também acelerou as iniciativas digitais para fornecer aos clientes viagens mais tranquilas e seguras, com verificação rápida e segura dos documentos de vacinação contra a COVID-19, adotando mais pontos de biometria e sem contato em seu hub de Dubai.

A Emirates continuou como líder do setor adotando iniciativas que fornecem garantia ao cliente com a flexibilização das restrições de viagem e mais pessoas planejando suas viagens.

A companhia aérea estendeu suas generosas isenções de remarcação de voo e cobertura médica gratuita para COVID-19 a todos os clientes; e introduziu novas formas de acumular milhas no programa Emirates Skywards além de estender a expiração das milhas e o status do nível dos membros do programa.

Neste 2º ano de pandemia, a Emirates SkyCargo mais uma vez apresentou um desempenho excelente e contribuiu com 40% da receita total de transporte da companhia aérea, com sua capacidade de responder rapidamente às mudanças nos padrões de demanda em um mercado global distorcido.

A Emirates SkyCargo manteve sua vantagem no setor global de transporte aéreo com o foco em seus clientes, trazendo soluções inovadoras para o mercado e aumentando as capacidades de frota e rede.

Reconstruindo sua rede e capacidade, a divisão de carga usou de forma inteligente sua frota de cargueiros e porões em aeronaves de passageiros para atender às necessidades dos clientes. Em 30 de junho de 2021, havia restaurado os serviços, atingindo mais de 90% da sua rede pré-pandemia.

Emirates SkyCargo Dubai vacinas Aeroportos
Transporte de vacinas em voos regulares de passageiros. Foto: Emirates

Durante o ano, a Emirates SkyCargo continuou desempenhando um papel importante no fornecimento de vacinas contra a COVID-19 e outros suprimentos médicos para comunidades em todo o mundo, mantendo as rotas comerciais abertas para o fornecimento de alimentos, produtos do comércio eletrônico e outros bens essenciais. Em junho de 2021, investiu na ampliação da sua infraestrutura para produtos farmacêuticos refrigerados em Dubai e, em março de 2022, havia transportado 1 bilhão de doses de vacinas COVID-19.

No Dubai Airshow 2021, a Emirates anunciou o investimento de US$ 1 bilhão para adquirir dois novos cargueiros Boeing 777 e converter quatro aeronaves 777-300ER atuais em cargueiros. Com a demanda forte e constante do transporte aéreo de carga ao longo do ano, a divisão de carga da Emirates registrou a receita recorde de AED 21,7 bilhões (US$ 5,9 bilhões), que representou um aumento de 27% em relação ao ano passado.

O rendimento de carga — toneladas de carga disponível por quilômetro (FTKM) — diminuiu 3% pois aumentou a capacidade de carga do mercado global, mas em geral permaneceu em níveis altos em comparação com o mercado durante a pandemia devido à demanda constante e forte.

O número de toneladas transportadas aumentou 14%, atingindo 2,1 milhões de toneladas, devido ao aumento da capacidade disponível nos porões de aeronaves de passageiros durante todo o ano, com o restabelecimento de mais voos de passageiros. No final de 2021-22, a frota total de cargueiros da Emirates SkyCargo era de 10 Boeing 777Fs.

O portfólio de hotéis da Emirates dobrou a receita no ano passado, atingindo AED 602 milhões (US$ 164 milhões), com a reabertura de mais unidades para atender ao aumento do tráfego de turismo e à recuperação gradual do setor de reuniões e conferências.

Durante o ano, houve reestruturação e estendeu com sucesso vários arrendamentos de aeronaves. O apoio de locadores da aviação e parceiros de financiamento durante esses tempos desafiadores reflete a confiança da comunidade financeira no modelo de negócios da empresa e suas perspectivas de médio e longo prazo. Além do financiamento de AED 9,7 bilhões (US$ 2,6 bilhões) que foi levantado em 2021-22para aeronaves e assuntos corporativos gerais, a companhia aérea já recebeu ofertas para financiar duas entregas de aeronaves em 2022-23.

A Emirates encerrou o ano financeiro com ativos de caixa sólidos de AED 20,9 bilhões (US 5,7 bilhões), 38% acima do valor registrado em 31 de março de 2021.

 

Desempenho da dnata

A recuperação da pandemia foi sentida em todos os negócios da dnata e, em 2021-22, a dnata voltou à lucratividade, com lucro de AED 110 milhões (US$ 30 milhões).

Com o crescimento dos voos e viagens em todo o mundo, a receita total da dnata aumentou 54%, atingindo AED 8,6 bilhões (US$ 2,3 bilhões). Os negócios internacionais da dnata correspondem a 62% da sua receita.

A dnata continuou se preparando para o crescimento futuro, com investimentos em 2021-22 de AED 370 milhões (US$ 101 milhões). Durante o ano, a dnata investiu significativamente em sua capacidade de movimentação de carga. Expandiu as instalações existentes em Sydney, Austrália; abriu um centro de carga de última geração no aeroporto de Londres Heathrow; e anunciou um centro de carga totalmente automatizado, que será construído na “dnata Cargo City” no aeroporto Schiphol de Amsterdã.

Também introduziu o “OneCargo”, um sistema avançado que digitaliza e automatiza funções comerciais e operacionais em suas operações de carga no Iraque, com planos de implementação do sistema em sua rede global de carga.

Em 2021-22, os custos operacionais da dnata aumentaram 14%, atingindo AED 8,4 bilhões (US$ 2,3 bilhões), devido à expansão das operações das suas divisões de Operações Aeroportuárias, Catering (Fornecimento de Refeições) e Viagens em todo o mundo.

O saldo de caixa da dnata subiu AED 208 milhões e atingiu AED 4,9 bilhões (US$ 1,3 bilhão). O caixa líquido usado em atividades de financiamento, principalmente pagamentos de empréstimos e arrendamentos, totalizou AED 745 milhões (US$ 203 milhões), e os negócios usaram caixa líquido de AED 246 milhões (US$ 67 milhões) em investimentos essenciais. A empresa registrou fluxo de caixa operacional positivo de AED 1,2 bilhão (US$ 332 milhões) em 2021-22, reflexo das melhorias substanciais nas receitas.

Foto – Dnata/Divulgação

A receita da unidade de Operações Aeroportuárias da dnata, incluindo movimentação de carga e em terra, aumentou para AED 5,7 bilhões (US$ 1,6 bilhão). O número de operações de aeronaves administradas pela dnata globalmente cresceu 82%, atingindo 527.501, a carga movimentada aumentou 10% e atingiu 3,0 milhões de toneladas, reflexo do aumento de voos em todo o mundo, com a retomada das operações dos clientes da dnata nos locais onde houve flexibilização das restrições de voos e viagens.

Durante 2021-22, a dnata expandiu a presença global de operações aeroportuárias na África. Assinou um contrato de concessão com o governo de Zanzibar, onde a dnata supervisionará as operações do terminal internacional recém-construído da ilha com seus parceiros, incluindo a Emirates Leisure Retail (ELR), que fará parceria com a MMI como concessionária principal de todos os alimentos e bebidas, duty free e pontos comerciais no terminal.

A marhaba, marca de hospitalidade aeroportuária da dnata, completou 30 anos de operações com o lançamento de seus serviços exclusivos de recepção (meet and greet) em quatro dos principais aeroportos da Austrália, um novo lounge no aeroporto de Zurique e uma experiência redesenhada em seu lounge principal no aeroporto internacional de Dubai.

A unidade de Catering (fornecimento de refeições) da dnata correspondeu a AED 1,7 bilhão (US$ 455 milhões) da receita da dnata, um aumento de 60%. O negócio de catering a bordo forneceu 39,9 milhões de refeições para companhias aéreas, mais que o dobro do número de refeições do ano passado, reflexo da retomada de voos de seus clientes (companhias aéreas) em todo o mundo.

As conquistas significativas de clientes durante o ano incluem a BA CityFlyer, que levou a dnata Catering a lançar operações no aeroporto de Londres; e o contrato de serviços globais de varejo a bordo para a easyJet, em que a equipe de especialistas em varejo a bordo da dnata desenvolverá e gerenciará programas e soluções de varejo a bordo sob medida para a companhia aérea.

A empresa também registrou atividade significativa na Austrália. Com a reabertura do país para viajantes internacionais, a dnata trabalhou em estreita colaboração com os clientes das companhias aéreas para apoiar a retomada das operações de voo. A dnata Catering também continuou expandindo seus negócios de refeições, com refeições prontas desenvolvidas pela Snapfresh Australia lançadas nas lojas Aldi e Costco em todo o país.

A receita da divisão de Serviços de Viagem da dnata cresceu significativamente em 434% para AED 694 milhões (US$ 189 milhões). O valor total da transação (TTV) reportado de serviços de viagens vendidos aumentou 912% para AED 2,3 bilhões (US$ 632 milhões), uma reversão dramática em relação ao ano passado. Esses aumentos refletem a situação anormal do ano passado, onde a empresa registrou altos níveis de cancelamentos de reservas relacionados ao COVID-19.

A receita da unidade de Serviços de Viagem da dnata teve aumento significativo de 434%, atingindo AED 694 milhões (US$ 189 milhões). O valor total da transação (TTV) relatado de serviços de viagens vendidos aumentou 912%, atingindo AED 2,3 bilhões (US$ 632 milhões), uma reversão considerável em relação ao ano passado. Esses aumentos refletem a situação anormal do ano passado, quando a empresa recebeu altos níveis de cancelamentos de reservas devido à COVID-19.

Durante o ano, a dnata apresentou vários novos produtos e serviços nos Emirados Árabes Unidos, capitalizando com o seu conhecimento de mercado, as fronteiras abertas de Dubai para viagens internacionais, a Expo 2020 em Dubai, além de outras grandes conferências e eventos esportivos.

Emirates Airbus A380
Foto: Emirates/Divulgação

Para seus clientes de viagens corporativas, a dnata fez parceria com a ExpensePoint para oferecer uma solução avançada de relatórios de despesas; renovou a parceria com um dos maiores especialistas do mundo em restituição do imposto VAT que trará oportunidades de economia adicionais para restituições de viagens de serviço; e implementou soluções híbridas de reuniões e eventos para fornecer aos clientes uma alternativa sustentável para os compromissos corporativos durante as restrições de lockdown na pandemia.

No Reino Unido, a marca Travel Republic da dnata apresentou uma nova “Secure Trust Account” (conta garantia) para clientes de pacotes de férias, que garante o reembolso imediato para clientes que precisam cancelar seu pacote de férias com voo incluído, pois os fundos são mantidos seguros em uma conta separada.

A dnata também lançou sua marca Gold Medal no Reino da Arábia Saudita este ano, oferecendo seu extenso portfólio de produtos de viagem para agentes de viagens independentes.

O Relatório Anual 2021-22 completo do Grupo Emirates, incluindo dados da Emirates, dnata e suas subsidiárias, está disponível aqui e as informações em inglês com outras fotos, aqui.