Emirates fecha ano fiscal com lucro de US$ 456 milhões

A Emirates Group anunciou hoje (10/05) o seu 32º ano consecutivo de lucro, contra uma queda na receita atribuída principalmente às operações reduzidas durante o fechamento de pista no Aeroporto de Dubai (DXB), e ao impacto das restrições de voo e viagens devido à pandemia do COVID-19.

No total, o lucro líquido do Grupo Emirates foi de US$ 456 milhões, no período de 1º de abril de 2019 até 31 de março de 2020. Houve uma queda de 28% em relação ao ano fiscal anterior.

Ao mesmo tempo, o Grupo Emirates teve uma receita anual de US$ 28,3 bilhões, com queda de 5% em relação ao ano anterior.

Vale ressaltar que a Emirates teve uma contração de 4% no número de passageiros transportados em relação ao ano anterior, como já citado, pela redução do número de voos durante as obras em DXB, e no fim do ano fiscal, pela pandemia de COVID-19. Foram 56,2 milhões de passageiros transportados ao longo do período, com uma taxa de ocupação de 78,5%.

O saldo de caixa do Grupo no final de março era de US$ 7,0 bilhões, um aumento de 15% em relação ao ano passado, principalmente devido a um forte desempenho comercial até fevereiro de 2020 e menor custo de combustível em relação ao ano anterior.

Devido ao ambiente de negócios sem precedentes da pandemia em curso e para proteger a posição de liquidez do Grupo, o Grupo não declarou dividendos para este exercício financeiro após o dividendo do ano passado de AED 500 milhões (US$ 136 milhões) para a Investment Corporation de Dubai.

Em 2019-20, o Grupo investiu coletivamente 11,7 bilhões de AED (US$ 3,2 bilhões) em novas aeronaves e equipamentos, aquisição de empresas, instalações modernas, tecnologias mais recentes e iniciativas de funcionários, uma redução após o gasto recorde de investimentos em AED do ano passado 14,6 bilhões (US$ 3,9 bilhões).


A Emirates recebeu seis novas aeronaves neste ano fiscal, retirando seis aviões mais antigos, fechando o ano com 270 aeronaves na frota.

No Dubai Air Show de 2019, em novembro, a Emirates fez um pedido de US$ 16 bilhões para 50 aviões Airbus A350XWB e um pedido de US$ 8,8 bilhões para 30 aeronaves Boeing 787 Dreamliner.

Com as primeiras entregas previstas para 2023, essas novas aeronaves serão adicionadas ao atual mix de frotas da Emirates e fornecerão maior flexibilidade para novas rotas.

Os principais investimentos da dnata durante o ano incluíram: a expansão significativa das capacidades de catering na América do Norte com a abertura de novas operações em Vancouver, Houston, Boston, Los Angeles e San Francisco. A dnata também concluiu a compra da participação remanescente na Alpha LSG, para se tornar o único acionista da maior empresa de catering a bordo, varejo e logística a bordo do Reino Unido.

Em suas mais de 120 subsidiárias, a força de trabalho total do Grupo permaneceu praticamente inalterada, com 105.730 funcionários, representando mais de 160 nacionalidades diferentes.

 

DEIXE UMA RESPOSTA