Foto - FAB

Os esquadrões Tracajá (1° ETA) e Cobra (7º ETA), sediados em Belém (PA) e Manaus (MA), respectivamente, realizaram o Exercício Técnico Pista Crítica no Destacamento de Aeronáutica de São Gabriel da Cachoeira, distante cerca de 850 km da capital amazonense.

O treinamento de pousos e decolagens curtas em pistas não preparadas e críticas, cuja primeira fase encerrou no último dia 28, teve por objetivo cumprir missões de formação e manutenção operacional das aeronaves C-98A Caravan. Adicionalmente, ocorreram instruções terrestres teóricas, abordando temas como performance, fraseologia, segurança de voo e balizamento no solo.

Foto – FAB

Para o Comandante do Esquadrão Cobra, Tenente-Coronel Aviador Alex Arruda, o resultado obtido na primeira fase mostrou-se bastante positivo.

“Além dos objetivos determinados pelo Comando de Preparo [COMPREP] e pela Ala 8 terem sido alcançados, a integração entre os pilotos e mecânicos dos dois esquadrões aéreos estreitou a troca de conhecimento no âmbito operacional”, disse.

 

Pistas Críticas

Foto – FAB

Durante os 16 dias de exercício, foram mais de cem horas voadas. Desse total, cerca de 32 horas foram em treinamentos de pouso curto nas pistas críticas de Jandú-Cachoeira, Pari-Cachoeira, Querari e Tunuí, totalizando 183 pousos nessas localidades.

Dentre as características que são consideradas para uma pista crítica, de moderado até elevado grau de complexidade, há a constituição do piso, que pode ser de asfalto, piçarra ou grama, com dimensões de 800×15 metros.

Para o Tenente Aviador Wellington Salomão Raimundo Gomes Tavares, piloto de C-98 Caravan, realizar esse tipo de exercício contribuiu não só para o aperfeiçoamento de sua pilotagem, mas para aprimoramento de outros aspectos.

“Pudemos treinar, também, emprego em um cenário Amazônico, limites operacionais da aeronave em condições marginais e interoperabilidade entre os esquadrões envolvidos”, afirmou.

 

Via – FAB