Estados Unidos pedem suspensão de voos do Irã para a Venezuela

Avião da Mahan Air no Aeroporto Internacional Simón Bolívar, nos arredores de Caracas. Foto - REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

O Irã e a Venezuela se tornaram “parceiros” comerciais em meio a crise econômica e de saúde no mundo. A ajuda do Irã vem através da sua empresa aérea Mahan Air, que tem operado voos para o pais sul-americano com cargas e trabalhadores.

Mas além do voo de “ajuda” à Venezuela, o assunto chegou aos EUA, que não apoia a realização do voo.

E ontem (29) o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, pediu às nações que neguem os direitos de sobrevoo à Mahan Air. Ele alega que a maior companhia aérea do Irã estava entregando remessas de ‘apoio desconhecido’ ao disputado governo da Venezuela.

Além disso, as autoridades americanas há muito expressam seu desagrado pelo regime presidencial de Nicolás Maduro, na Venezuela. Portanto, o secretario dos EUA está de olho no andar dessa relação entre os países.

Segundo a Reuters, Pompeo expressou sua frustração em uma entrevista coletiva do departamento de estado. “Nos últimos dias, várias aeronaves pertencentes à Mahan Air transferiram apoio desconhecido ao regime Maduro”, disse Pompeo, conforme noticiado pela Reuters.

“Esta é a mesma companhia aérea terrorista que o Irã usou para transportar armas e combatentes pelo Oriente Médio”.

Na semana passada, uma autoridade venezuelana compartilhou que o país recebeu materiais via aeronave iraniana para ajudá-lo a iniciar a unidade de craqueamento catalítico em uma refinaria de petróleo bruto em Cardon, este material é essencial para a produção de gasolina. Os Airbus A340 aterrissaram no Aeroporto Internacional Las Piedras.


Afim de evitar grandes conflitos, não é provável que haja muitos chefes de estado decididos a tomar uma posição agora.

 

DEIXE UMA RESPOSTA