Um famoso vídeo de um Airbus A380 da Etihad Airways está circulando desde o dia 16 de fevereiro pelas redes sociais. Apesar do pouso muito bonito, e que impressiona pela capacidade dos pilotos de levar centenas de toneladas ao solo, a companhia não gostou muito da manobra.

O vídeo, filmado no Reino Unido durante a forte tempestade Dennis, mostra um Airbus A380 pousando com fortes ventos de través (quando a massa de ar atinge a lateral da aeronave).

Na manobra, conhecida como “caranguejo” ou “guinada” o piloto aponta a aeronave na direção do vento, mantendo um curso reto em direção à pista. É uma forma de anular forças, e manter o controle desejado da aeronave. 

Essa imagem representa a força resultante durante a manobra de aproximação para pouso no estilo “caranguejo”.

É possível fazer esse tipo de pouso desde um avião pequeno até uma aeronave de maior porte.

Pouco antes do pouso, os pilotos aplicam o leme para trazer o avião – e seu material rodante – de volta, para que fique alinhado diretamente na linha central da pista.

Logicamente isso requer muita habilidade. Não é na primeira hora de voo que você aprenderá a fazer um pouso dessa forma, mas os pilotos do A380, no mercado de trabalho, costumam ser os melhores e mais experientes.

Vamos parar de falar tanto e mostrar o vídeo:


O gerente de treinamento de tripulação de voo da companhia aérea, no entanto, enviou um memorando a todos os pilotos, dizendo que esse pouso não era o que a companhia aérea deseja ver.

“A visão oficial do Departamento de Treinamento é simples – NÃO É O QUE QUEREMOS VER. Há um tempo para apresentar um pouso no interesse da segurança”, disse o memorando.

“Se você fizer uma coisa dessas no simulador, seria uma nota de 1 (de 10)…”.

O A380 tem uma capacidade de vento cruzado de 40kts e uma capacidade de pouso com piloto automático de vento cruzado de até 30kts.

Claude Lelaie, ex-piloto de testes da Airbus há 23 anos, que passou 14 anos como chefe de testes de voo, disse ao AirlineRatings.com que:

“1 – Realizamos 6 aterrissagens (no A380) em Keflavik (Islândia) com rajadas máximas de vento de 56 kt e vento médio bem acima de 40 nós. O desvio máximo foi de 5,4 metros, o que demonstra que o pouso em vento cruzado não é difícil. Foi limitado a 35 nós por várias razões (principalmente vibrações das pás do motor).

2 – É completamente errado dizer que o piloto automático não deve ser usado. O AP é ajustado para sincronizar perfeitamente o flare e o decrab. Ele faz isso com muito mais precisão do que a maioria dos pilotos. Lembro-me de um voo de certificação com um vento lateral no A340-600. Fizemos um ‘autoland’ perfeito na linha central, e depois uma última aterrissagem manual com um piloto muito bom, mas com um desvio! ”

DEIXE UMA RESPOSTA