• Instagram
  • Feed
  • Telegram
  • Youtube

EUA enviam A-10 Thunderbolt para o Oriente Médio

A-10 Israel
Um A-10C Thunderbolt II disparando seu canhão GAU-8/A Avenger, seu principal armamento. Foto: MSgt. Terry Atwell/USAF.

Os A-10 Thunderbolt II do 354º Esquadrão de Caça da Base Aérea de Davis-Monthan, Arizona, chegaram ao Oriente Médio, enquanto os EUA enviavam poder aéreo para a região após o ataque surpresa do Hamas a Israel em 7 de outubro.

A localização exata deles não ficou imediatamente clara.

Os A-10 se somarão aos Warthogs do 75º Esquadrão de Caça, que já estão na região, segundo autoridades norte-americanas.

A decisão de enviar recursos militares dos EUA para a região foi tomada para desencorajar o Hezbollah, o grupo militante libanês, e o Irão de tentarem escalar o conflito e para mostrar apoio a Israel, que teve mais de 1.200 cidadãos mortos e outros feitos reféns e levados para Gaza.

 

Um alto funcionário da defesa disse aos repórteres no dia 12 de outubro que a mensagem para qualquer ator estatal ou não-estatal que estivesse pensando em aumentar a violência era simples: “Não faça isso”.

A nova implantação ocorreu no momento em que o secretário de Defesa Lloyd J. Austin III se dirigiu a Israel em 13 de outubro, disse o Pentágono.

O Pentágono já havia anunciado planos para enviar A-10, F-16 Fighting Falcon e F-15E Strike Eagle para fortalecer a presença da Força Aérea dos EUA na região.

Os militares não disseram se os F-15 e F-16 já chegaram. Autoridades dos EUA disseram que os caças furtivos F-35 Lightning II também estão entre as capacidades que podem ser enviadas.

O porta-aviões USS Gerald R. Ford também se deslocou para o Mar Mediterrâneo Oriental. Ele carrega quatro esquadrões de caças F/A-18 Super Hornet, bem como aeronaves de guerra eletrônica e de comando e controle. O porta-aviões também é acompanhado por navios de guerra que transportam mísseis de cruzeiro.

“Esperamos ver mais aumentos de postura fluindo na próxima semana”, disse o alto funcionário da defesa. “Continuaremos a responder aos pedidos de Israel por defesa aérea, artilharia, munições e munições guiadas de precisão.”

Israel respondeu aos ataques do Hamas com ataques aéreos punitivos em Gaza, e Israel parece disposto a intervir com forças terrestres, mobilizando um grande número de membros das Forças de Defesa de Israel (IDF) perto da fronteira de Israel com Gaza. O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, prometeu “esmagar e destruir” o Hamas e formou um gabinete em tempo de guerra.

Austin planeja se reunir com Netanyahu, o ministro da Defesa, Yoav Gollant, e o gabinete de guerra, disse o alto funcionário da defesa, para conversas aprofundadas sobre “seu planejamento operacional e seus objetivos para este conflito em resposta ao ataque brutal do Hamas, ao estilo do ISIS”.

Cidadãos americanos estão entre os mortos e feitos reféns, dizem autoridades americanas. O Departamento de Estado anunciou planos para evacuar alguns cidadãos americanos de Israel.

Embora as forças dos EUA estejam preparadas para intervir caso o Hezbollah tente abrir uma frente norte em Israel, tal medida pode não ser necessária. Austin disse em 12 de outubro que os EUA não tinham evidências de que o Hezbollah acumulasse forças na fronteira norte de Israel.

“Também estamos procurando coisas adicionais que possam ampliar o conflito aqui e esperamos não ver essas coisas, mas não vimos isso até agora”, disse Austin.

Via: Air & Spaces Forces

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.