Dentre os upgrades que serão integrados ao Typhoon está o display panorâmico sensível ao toque, demonstrado pela BAE na Finlândia. Imagem: Eurofighter Finland.

O Consórcio Eurofighter Jagdflugzeug GmbH, responsável pela produção e desenvolvimento do caça de 4.5 geração Typhoon, assinou uma série de contratos com empresas parceiras para garantir futuras melhorias à aeronave de combate multinacional. Chamado de Pacote de Consolidação Etapa Dois e Três, Fase 1, o negócio é avaliado em quase 300 milhões de euros e foi assinado entre o Consórcio e a NETMA (NATO Eurofighter & Tornado Management Agency). 

O contrato fornece as próximas etapas na evolução da capacidade da aeronave de caça, consolidando diferentes fluxos em um produto para formar uma linha de base firme, informou a Eurofighter GmbH. O contrato para a Fase 2 será assinado em meados do ano que vem, provendo a cobertura financeira até o final dos serviços

Dentre os upgrades a serem recebidos pelo Eurofighter Typhoon está um display panorâmico sensível ao toque, similar ao encontrado no Saab Gripen E, F-15EX/QA, Super Hornet Block III e F-35 Lightning II. O display será desenvolvido pela BAE Systems da Inglaterra, que informou que seu contrato com o Consórcio é de 135 milhões de libras esterlinas. Andrew Mallery-Blythe, piloto da BAE, disse que o display a ser integrado no Typhoon será o maior do mercado. A tela foi demonstrada pela fabricante na Finlândia. 

“Reunir este contrato foi um verdadeiro esforço de equipe bem-sucedido em todo a Eurofighter, as empresas parceiras do Eurofighter, a NETMA e as principais nações. É mais um passo importante no desenvolvimento do programa aeroespacial de maior sucesso da Europa”, afirmou Ruediger Knoepfel, diretor da NETMA.

Um elemento importante do contrato trata dos aprimoramentos de capacidade para operar o Typhoon com o míssil ar-ar de longo alcance Meteor, com esta a implementação de capacidade sendo transferida do radar M-Scan – atualmente empregado no Typhoon, com varredura mecânica – para o E-Scan, novo radar de varredura eletrônica ativa (AESA). O contrato também contempla melhorias na maneira como o Typhoon opera o míssil ar-solo de precisão Brimstone, atualizações de seus rádios, no MIDS (componente de comunicação) do datalink Link 16, padrão da OTAN, e melhorias no subsistema de auxílios defensivos (DASS).

“É um conjunto abrangente de capacidades individuais, principalmente no domínio da aviônica, mas também algumas extensões para os envelopes da aeronave. Como tal, seu desenvolvimento utiliza habilidades de todo o espectro de engenharia e suporte. É a continuação natural da batida de tambor de lançamentos de capacidade consistentes para os clientes do Eurofighter.”

O upgrade estará disponível não só para os países membros do consórcio Eurofighter – Inglaterra, Alemanha, Espanha e Itália – mas também os usuários de exportação do caça delta-canard. Além dos países acima mencionados, o Typhoon está em serviço na Arábia Saudita e Oman, além de ter sido adquirido por Catar e Kuwait. O avião também está concorrendo contra o Super Hornet, Rafale, Gripen e F-35 para substituir os F/A-18C/D Hornet da Força Aérea Finlandesa. 

Typhoon FGR.4 da RAF com mísseis ar-ar ASRAAM e Meteor, mísseis ar-solo Brimstone e bombas Paveway IV. Foto: RAF.

“Este contrato representa mais um passo positivo para a Eurofighter e irá garantir que continue a ser um dos ativos mais importantes para os nossos clientes. Este pacote de desenvolvimentos torna o desempenho do sistema de armas mais eficaz e versátil para nossos usuários finais, com melhorias nas capacidades individuais sendo implementadas em toda a frota de aeronaves M-Scan e E-Scan”, celebrou o CEO da Eurofighter, Herman Claesen. 

Segundo a BAE, o programa Typhoon emprega diretamente mais de 5.000 funcionários apenas na BAE Systems, além de apoiar mais 10.000 empregos em toda a economia do Reino Unido. Além da BAE, os trabalhos de upgrade serão realizados pela Leonardo e pelos braços da Airbus na Alemanha e Espanha, com demais aspectos significativos sendo realizados dentro de uma base de fornecimento mais ampla, mais especificamente pela EuroRadar e EuroDASS.

“O contrato sustentará 100 funções de engenharia altamente qualificadas no Noroeste e é apenas um exemplo de uma série de inovações lideradas pela tecnologia sendo desenvolvidas para o Typhoon”, disse Richard HamiltonDiretor do Programa Typhoon da BAE Systems Air. 

Cockpit de um Typhoon da RAF. Foto: Sgt. Pete Mobbs/MOD.

DEIXE UMA RESPOSTA