Pela primeira vez um caça F-35B Ligthing II dos EUA, obteve uma comunicação com o Sistema de Autodefesa do Navio (SSDS) do USS Wasp. Isso possibilita o compartilhamento de dados entre a aeronave e a embarcação.

Essa comunicação com compartilhamento de dados de sensores do caça e do navio é possível por meio de um sistema de hardware e software, chamado Link 16, que coordena mísseis defensivos e armas de guerra eletrônica a bordo de navios, permitindo à USN mais consciência situacional dos mísseis.

Caça Lockheed Marting F-35B Lighting II.  Foto – U.S.Marines

Uma das finalidades de um caça naval é a proteção aérea de embarcação principal, por exemplo um porta-aviões e outras embarcações que compõem uma esquadra de combate.

Esse compartilhamento de dados é tão benéfico para os navios quanto para os caças, no primeiro caso pode-se obter uma segurança maior das embarcações de forma direta. Já na segunda, o pessoal que está no mar fica a par da real situação das aeronaves, como por exemplo, níveis de combustível ou inventário de armas.

Para o capitão da USN, Danny Busch, “essa informação é fundamental para qualquer comandante – e informações compartilhadas de várias fontes e pontos de vantagem ampliam nosso espaço de batalha e nossa vantagem sobre as ameaças inimigas”.