Foto - Cirrus Aircraft

Na última quinta-feira (18/04) a Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) determinou a paralisação do Cirrus SF50 Vision, após seguidos relatos de problemas de controle em voo.

De acordo com a FAA, o Cirrus SF50 sofreu em vários voos um problema de pitch down através do sistema automático de pilotagem, semelhante o mesmo problema encontrado no Boeing 737 MAX e que gerou dois acidentes em menos de 5 meses.

Foram reportados cerca de três incidentes, entre novembro e abril deste ano, o que levou à determinação de paralisação da frota do jato executivo monomotor.

No caso do Cirrus SF-50, o sistema automático pode comandar um pitch down (ângulo de ataque negativo) mesmo se os sensores estiverem retornando dados corretos. Na diretriz a FAA disse: “os sistemas SWPS ou ESP podem funcionar mesmo quando existe velocidade suficiente e ângulo de ataque (AOA) adequado para o voo normal”.

A aeronave também pode exibir indicações falsas de ângulo de ataque, incluindo informações anormais em baixa velocidade. Neste caso o principal erro inicia no sensor de ângulo de ataque, fabricado pela Aerosonic, que já está substituindo todo o lote de componentes com defeitos.

O comando indevido pode ocasionar um acidente, de acordo com a FAA, que juntamente lançou uma série de recomendações de pilotagem para este caso.

Agora a Cirrus deverá analisar o sistema de voo da aeronave (software) juntamente com a FAA, para determinar as correções que serão realizadas no jato. Um boletim de serviço obrigatório para a substituição do sensor de ângulo de ataque também foi emitido, no dia 16 de abril.

 

O Vision Jet

Foto – Cirrus Aircraft/Divulgação

Para compor seu novo jato executivo a Cirrus escolheu um conjunto de especificações que fazem jus ao pequeno avião com 12 metros de envergadura que faz parte da categoria Very Light Jet. Mesmo com seu pequeno tamanho o Vision Jet é capaz de transportar até 5 adultos e 2 crianças a bordo, além de ser capaz de voar com somente um piloto, o modo Single Pilot.

Nos aviônicos a Cirrus incorporou um sistema da Garmin baseado em toques na tela, uma tecnologia já conhecida em jatos de sucesso, como o Embraer Phenom. Esse sistema porém é exclusivo no Vision Jet, feito a partir de uma parceria da Garmin com a Cirrus.

Foto – Cirrus Aircraft

O Vision Jet também avançou muito em performance, para quem imaginava um desempenho ruim na decolagem e pouso, devido a ter somente um motor, a Cirrus diz que com o peso máximo é possível decolar em 620 metros e pousar com aproximadamente 500 metros.

Seu peso máximo é de 2722 kg, enquanto sem combustível e passageiros o Vision pesa 1620 kg. Essa aeronave pode levar até 907 quilos de combustível, para voar por aproximadamente 2200 km. 

A Cirrus também escolheu o motor Williams International FJ33-5A, com tecnologia Turbofan de alto bypass, para propulsionar a aeronave. Esse motor é capaz de entregar 1800 lbs de empuxo e promete ser bastante econômico perto de outras aeronaves. O Vision Jet voa com até 300 knots de velocidade (aproximadamente 560 km/h) e seu teto máximo de voo é de 28 mil pés.

Atualmente é possível encomendar um Vision Jet por apenas US$ 1,9 milhão.