Usinas geradoras de oxigênio têm auxiliado no abastecimento de hospitais no Amazonas em resposta à crise sanitária provocada pela Covid-19.

Três unidades, que saíram de Curitiba (PR), nesta quarta-feira (11), com destino à Manaus (AM), somam o total de 28 usinas de produção enviadas para o estado, até o momento. Os equipamentos, de fabricação nacional, foram transportados pela Força Aérea Brasileira.

As usinas serão encaminhadas para os municípios de Autazes, Nova Olinda do Norte e Careiro, todos no Amazonas. As unidades, com capacidade para produzir 8.760 metros cúbicos de oxigênio medicinal por mês, viabilizam o envasamento de até 38 cilindros por dia.

Esse desempenho atende de 100 a 150 leitos hospitalares com 10 Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs).

Desde o início das ações emergenciais de apoio ao estado, no início de janeiro, as Forças Armadas atuam sem parar no transporte de oxigênio e insumos em apoio ao estado no norte do País.

Na terça-feira (10), 26 tanques de oxigênio líquido foram enviados de Brasília para Manaus, que centraliza os itens recebidos de várias capitais do País e realiza a distribuição para os municípios amazonenses.

Até então, foram transportados 529 tanques de oxigênio líquido e 5.290 cilindros de oxigênio gasoso. Desses, 116 cilindros foram encaminhados para a região de Tefé (AM) e 52 unidades para Parintins (AM).

Somado a esses esforços, os militares cooperam com a transferência de pacientes de Manaus (AM) para outros estados do País. A força-tarefa, dentro desse cenário, visa reduzir a ocupação de leitos nos hospitais para que sejam disponibilizados para pessoas em quadros mais sensíveis da Covid-19.

Até então, mais de 640 pessoas foram deslocadas para unidades de saúde em outros estados, sendo 18 pacientes oncológicos que prosseguirão o tratamento no Rio de Janeiro (RJ).

Ao todo, 192 voos foram realizados nessa etapa da Operação Covid-19, somando 1.686 horas de deslocamento. Foram 54 trechos aéreos para a remoção de pacientes e 128 para apoio logístico, com o transporte de mais de 1.970 toneladas de carga.

 

Via: Ministério da Defesa