• Instagram
  • Feed
  • Telegram
  • Youtube

FAB: Operação Yanonami ultrapassa 1000 horas de voo e 150 toneladas transportadas

Operação ocorre desde 22 de janeiro e envolve meios aéreos da FAB, Exército e Marinha do Brasil. Foto: FAB/Divulgação.
Operação ocorre desde 22 de janeiro e envolve meios aéreos da FAB, Exército e Marinha do Brasil. Foto: FAB/Divulgação.

Com seus meios empregados, o Comando Operacional Conjunto Amazônia (Cmdo Op Cj Amz) ultrapassou, nesta quinta-feira (23/02), às 1000 horas de voo e transportou mais de 150 toneladas em cargas. Os suprimentos são organizados na Base Aérea de Boa Vista (BABV), em Roraima (RR), onde as ações da Operação Yanomami são concentradas. Desde o dia 22 de janeiro, quando a primeira missão foi realizada pelo KC-390 Millennium da Força Aérea Brasileira (FAB), os trabalhos seguem de forma ininterrupta.

As missões aéreas são cumpridas pelas aeronaves A-29, E-99, R-99, C-98 Caravan, KC-390 Millennium, C-105 Amazonas, H-60 Black Hawk e H-36 Caracal, da FAB; o HM-2 e HM-4 do Exército Brasileiro (EB); e o UH-15 Super Cougar da Marinha do Brasil (MB).

Envolvimentos aéreos

Atuando na missão, as aeronaves C-98 Caravan são operadas pelo Primeiro Esquadrão de Transporte Aéreo (1º ETA) – Esquadrão Tracajá, pelo Sétimo Esquadrão de Transporte Aéreo (7º ETA) – Esquadrão Cobra e pela Base Aérea de Boa Vista (BABV).

C-98 Caravan na Operação Yanomami.

FAB/Divulgação.

Os vetores pousam de duas a três vezes ao dia no Aeródromo de Surucucu – onde está localizado o Quarto Pelotão Especial de Fronteira (4º PEF) do Exército Brasileiro (EB) – levando alimentos e medicamentos às comunidades indígenas Yanomami e também combustível de aviação para abastecer outras aeronaves que integram à missão.

O H-60 Black Hawk é operado pelo Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (2º/10º GAV) – Esquadrão Pelicano e pelo Sétimo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (7°/8° GAV) – Esquadrão Hárpia. Outro helicóptero é o H-36 Caracal, operado pelo Terceiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (3°/8° GAV) – Esquadrão Puma. São aeronaves multimissão de médio porte, sendo usadas em larga escala para infiltração e exfiltração de tropa.

As aeronaves C-105, operadas pelo Primeiro Esquadrão do Nono Grupo de Aviação (1°/9° GAV) – Esquadrão Arara e pelo Primeiro Esquadrão do Décimo Quinto Grupo de Aviação (1°/15° GAV) – Esquadrão Onça têm sido usadas para promover operações de ressuprimento aéreo como entrega de alimentos, remédios e outros elementos essenciais. Além disso, também têm sido usadas em outras operações, como o transporte de equipamentos médicos e materiais necessários para apoiar a área afetada.

C-105 Amazonas na Operação Yanomami.

FAB/Divulgação.

O KC-390 Millennium operado pelo Primeiro Grupo de Transporte (1º/1º GT) – Esquadrão Gordo também realiza lançamentos de cargas – os chamados ressuprimentos aéreos, quando a aeronave consegue transportar uma quantidade maior de alimentos e medicamentos em um curto espaço de tempo. Fazem parte, ainda, o R-99 e o E-99, operados pelo Segundo Esquadrão do Sexto Grupo de Aviação (2°/6° GAV) – Esquadrão Guardião.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por AMEAVITA (@almanaquenarota)

Já os helicópteros UH-15 Super Cougar e o HM-4 Jaguar ajudam a compor a frota de aeronaves na missão de modo a potencializar as missões de transporte aerologístico, aumentando consideravelmente as capacidades operacionais para o cumprimento das missões.

Operação Yanomami 2023

Publicado em 20 de janeiro de 2023, o Decreto nº 11.384 instituiu o Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento à Desassistência Sanitária das Populações em Território Yanomami. Em 30 de janeiro de 2023, foi publicado o Decreto nº 11.405, que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e de combate ao garimpo ilegal no território Yanomami a serem adotadas por órgãos da administração federal, com atuação dos Ministérios da Defesa, da Saúde, do Desenvolvimento Social e Assistência Social, da Família e Combate à Fome e dos Povos Indígenas.

Em 03 de fevereiro de 2023, por meio da Portaria GM-MD nº 710, foi aprovada a Diretriz Ministerial que orienta o apoio das Forças Armadas para as ações de enfrentamento da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e de combate ao garimpo ilegal no Território Yanomami. O documento ativou o Comando Operacional Conjunto Amazônia (Cmdo Op Cj Amz) para atuar na área do estado de Roraima e na porção do estado do Amazonas.

FAB/Divulgação.

A atuação das Forças Armadas ocorre em missões de lançamento e distribuição de cestas básicas; envio de suprimentos para reconstrução da pista do Aeródromo de Surucucu (RR); Evacuações Aeromédicas (EVAM) para atendimento no Hospital de Campanha (HCAMP); controle e fiscalização do espaço aéreo com a criação da Zona de Identificação de Defesa Aérea (ZIDA); fornecimento de dados de inteligência; e transporte aéreo logístico das equipes da Polícia Federal, do Ibama e dos demais órgãos e entidades da administração pública federal que participam diretamente da neutralização de aeronaves e de equipamentos relacionados com a mineração ilegal.

Estão em atuação, para atendimento às demandas, as aeronaves A-29, E-99, R-99, C-98 Caravan, KC-390 Millennium, C-105 Amazonas, H-60 Black Hawk e H-36 Caracal, da FAB; o HM-2 e HM-4 do EB; e o UH-15 Super Cougar da MB.

Via Força Aérea

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.