A fabricante europeia Airbus declarou na manhã de hoje (05/05) que o piloto e engenheiro Bernard Ziegler, morreu aos 88 anos de idade.

Ziegler trabalhou por um longo tempo com a engenharia aeronáutica, logo após ser piloto de caça na Força Aérea Francesa por 10 anos. Ele se graduou na “Ecole Polytechnique” francesa em 1954 e, posteriormente, em várias escolas de engenharia e treinamento de voo (Ecole Nationale de l’Air, Ecole de Chasse, Ecole Nationale Supérieure de l’Aéronautique , Ecole du Personnel Navigant Essais).

Durante o início dos anos 1960, ele estudou engenharia aeronáutica na ENSA (l’Ecole Nationale Supérieure de l’Aéronautique) em Toulouse, que agora é a ISAE-SUPAERO. Ele então frequentou a prestigiosa escola de pilotos de teste de voo EPNER, antes de iniciar uma carreira como piloto de teste militar.

Ziegler ingressou na Airbus como seu piloto de teste chefe em 1972 e recebeu a tarefa de criar uma nova divisão de testes de voo. Ele montou uma equipe que compartilhava os objetivos do escritório de projeto e dos países parceiros, promovendo a colaboração entre as tripulações de teste de voo e engenheiros de projeto.

Ele trabalhou inicialmente no projeto do A300, e depois nas diversas evoluções que este registrou ao longo dos anos. Ele foi o primeiro a voar a aeronave equipada com Fly-By-Wire, um novo sistema que seria a base para a futura família de aviões da Airbus.

Com sua experiência militar, ele foi fundamental para a transição, na época inédita nos aviões comerciais, dos controles de um manche para o sidestick, que equipa a família A320 e os aviões posteriores.

Cockpit do Airbus A320. Foto – Airbus/Reprodução

A Airbus declara como fundamental a participação de Ziegler no desenvolvimento do Fly-By-Wire na década de 80, testando incansavelmente o conceito em um A320ceo. Ele percebeu todo o potencial que o FBW digital poderia trazer, incluindo proteção de envelope de voo incorporada ao software de controle.

Ele também voou os aviões A310, A320 e A340-200. Em junho de 1993, Ziegler participou do voo mais longo já realizado por uma aeronave civil, quando um A340-200, apelidado de “World Ranger”, voou ao redor do mundo, partindo de Paris, com apenas uma escala em Auckland em pouco mais de 48 horas.

Até sua aposentadoria em dezembro de 1997, Ziegler foi vice-presidente sênior de engenharia da Airbus.