Boeing 737 MAX
Foto - Boeing/Reprodução

A fabricante norte-americana Boeing está novamente enfrentando problemas com a linha 737 MAX, mas dessa vez o problema não está relacionado com alguma razão operacional.

A Boeing informou que está com problemas na cadeia de produção de conectores de fios que passam pela fuselagem do avião, está em falta. 

Segundo a fabricante, mesmo com a falta dos conectores, o planejamento para a produção do 737 MAX ao longo desse ano permanece inalterada. 

Continua depois do anúncio

A falta de peças para a produção do avião norte-americano também está relacionada ao transporte desses componentes que tem enfrentado problemas, além disso há uma escassez de trabalhadores qualificados.

“Temos um conector de fiação em particular que está desacelerando as coisas. É um reflexo de um mundo louco da cadeia de suprimentos.” Disse Brian West, diretor financeiro da Boeing. 

Mesmo com problemas na cadeia de fornecimento de peças, West garante que a Boeing vai manter a taxa mensal de fabricação do 737 MAX, e justificou algumas pausas na fabricação do avião devido a falta de peças.

Continua depois do anúncio

“A cadeia de suprimentos está definida em 31. Não estou preocupado que o plano geral para o ano seja interrompido. O problema pode levar a desacelerar as coisas e, em alguns casos, apenas pausar, se as peças não estiverem lá”.

A falta de peças também impediu a Boeing de aumentar a sua capacidade de fabricar o 737 MAX, isso também provocou longos períodos sem poder fabricar o avião. 

O diretor financeiro disse que a empresa está buscando todas as formas para resolver o problema, disse ainda que o efeito dominó está vindo de locais específicos porém não identificou.

Continua depois do anúncio

Como resultado desses problemas, a empresa não informou qual a sua taxa mensal atual e nem forneceu maiores detalhes sobre o assunto.

Mesmo sem as entregas em massa de aviões do tipo widebody, a Boeing fechou abril com 35 aeronaves entregues, sendo a maior parte (28) da família 737 MAX, com mais três Boeing 777-300ER, dois Boeing 767-2C e um Boeing 747-8F completando os números do mês. No acumulado do ano a fabricante já entregou 131 aviões.

 

Continua depois do anúncio