Frontier irá cobrar até US$ 89 por maior distanciamento social em voos

Com muitas restrições de comércio, restrição social e de fronteiras, os países começam pouco a pouco a reabrir comércios e afrouxar as restrições de convívio social. E tudo isso também se reflete na aviação, com a possibilidade de ampliação de malhas e mais aviões voando.

Algumas companhias aéreas mesmo em situação de colapso financeiro, já começaram a colocar obrigatoriedade para passageiros embarcarem em seus voos. Uso de mascaras é unanime e eficaz contra o coronavírus, as companhias ainda acrescentam regras para o check-in e embarque/desembarque do voo.

A medição de temperatura corporal, com um scanner de temperatura corporal antes de entrar em espaços fechados nos aeroportos e o distanciamento social em voo são as ferramentas mais eficazes.

Porém algumas empresas como a Frontier, em situação financeira muito delicada pretendem cobrar de alguma forma para garantir uma sensação de segurança a mais para o passageiro. 

A empresa passará a cobrar um valor de US$ 89 para que se tenha um maior espaço entre outro passageiro.

“Embora acreditemos que a melhor medida para manter todos saudáveis ​​é exigir coberturas faciais, para aqueles que querem um assento vazio ao lado deles para uma paz de espírito extra ou simplesmente conforto adicional, agora estamos oferecendo ‘Mais espaço'”, CEO da Frontier Barry Biffle disse em uma declaração escrita.

A taxa extra para um assento do meio vazio garantido será entre US$ 39 e US$ 89, dependendo da rota. Ele entrará em vigor a partir desta sexta-feira e ocorrerá pelo menos até o final de agosto, se não for ampliado. 


A Frontier também está exigindo máscaras faciais para todos os passageiros na área dos portões, bem como a bordo de aeronaves, e implementará exames obrigatórios de lavagem das mãos e saúde antes do embarque.

Todas as outras grandes companhias aéreas dos EUA também exigem máscaras faciais para os passageiros, mas até agora nenhuma delas cobra um valor por tentar evitar a respiração próxima de outros passageiros. 

A American bloqueou metade dos assentos do meio em seus voos. A Alaska está bloqueando todos os assentos do meio. A Delta não está apenas bloqueando reservas para assentos do meio, mas também bloqueando assentos em outras configurações para espaçar os passageiros com mais eficiência. 

A Spirit Airlines, que assim como a Frontier, é uma companhia aérea de baixo custo e é conhecida por cobrar passageiros até por bagagem de mão, diz que deixará os assentos do meio vagos “quando possível”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA