O furacão Michael passou recentemente pela região do estado da Flórida e causou uma grande destruição em cidades do estado, infelizmente com a morte de pessoas. Além de casas, comércio e outros o furacão atingiu fortemente a Base Aérea Tyndall, no qual é um dos lares do caça F-22 Raptor.

O furacão de categoria 4 atingiu diretamente a base e provou um destruição significativa. A base conta ao todo com 55 unidades do caça Stealth. Destes 55 caças, cerca de 33 conseguiram decolar a tempo para bases mais seguras fora da linha do furacão Michael. Mas alguns raptor não conseguiram decolar a tempo, e fotos nas redes sociais mostravam hangares destruídos devido aos ventos de 210 km/h.

Fotos- Página oficial da Base Tyndall Air Force Base no Facebook.

As autoridades norte-americanas ainda não se pronunciaram sobre as destruições na base de Tyndall, mas se estima que tenha ficado na base cerca de 22 unidades do Raptor. Como podemos ver na imagem em destaque, alguns F-22 foram atingidos por destroços do hangar.

A base que fica localizada em um estado que historicamente já é bem afetado por fortes furacões tem hangares próprios para enfrentar essas fortes tormentas da natureza, mas não se sabe quanto das unidades dos F-22 que ficaram em solo foram remanejadas a tempo para estes hangares “anti-furacão”.

(Foto ilustrativa). Caças F-22 dentro de um hangar na base Tyndall em maio de 2018. Foto/Divulgação: U.s Airforce

Hoje a USAF conta com 187 exemplares do poderoso caça F-22 Raptor em atividade, prontos para o combate.

A linha de produção do primeiro caça Stealth do mundo fechou em 2010. De lá para cá circulou dentro da USAF até o Congresso Americano a possibilidade da reativação da linha de produção do Raptor, tanto é que em 2017 um comitê responsável por assuntos ligados à Defesa dos EUA disse que o relatório chegou ao Congresso, mas que ainda está em avaliação.

Porém já se esperava uma retomada na construção do caça de 5º geração dos EUA, tanto que ano passado o próprio Congresso dos EUA pediu um relatório para abrir uma possibilidade de recomeçar a construção de mais caças F-22 Raptor.

Desde então nada se definiu sobre essa possível retomada de produção dos Raptors, se estima que o custo para reativar a construção de 194 unidades do caça gira em torno de US$ 15 bilhões.