Foto: GA-ASI/Divulgação.

A General Atomics Aeronautical Systems, Inc. (GA-ASI) realizou ontem (07) a cerimônia de roll-out do primeiro drone MQ-9A Block 5 da Força Aérea Real Holandesa (RNLAF). Estiveram presentes no evento o CEO da GA-ASI, Linden Blue, o Vice-Almirante da Marinha Real Holandesa Arie Jan De Waard, o Tenente-General da RNLAF Dennis Luyt e o Presidente da GA-ASI, David R. Alexander. 

A aeronave remotamente pilotada (RPA) foi apresentada na sede da General Atomics em Poway, no estado americano da Califórnia, e deve começar seus testes de aceitação no início de 2022 nas instalações de operações de voo da fabricante em Gray Butte, também na Califórnia, sendo entregue aos Países Baixos logo em seguida. 

Ao todo, o contrato assinado em 2019 e avaliado em U$ 123 milhões compreende quatro MQ-9A, quatro Estações de Controle de Solo móveis, juntamente com o equipamento de suporte associado.  

“Estamos orgulhosos de iniciar este novo relacionamento com a Força Aérea Real Holandesa”, disse Linden Blue. “Com milhões de horas de desempenho comprovado sob suas asas, o MQ-9 é ideal para atender às necessidades de ISR [Inteligência, Vigilância e Reconhecimento] de seu país. A Holanda agora se junta ao Reino Unido, Itália, França e Espanha como países da OTAN que operam nossos RPAs avançados, com a Bélgica entrando online nos próximos anos.”

Segundo a General Atomics, o MQ-9A Block 5 tem uma autonomia de voo de 27 horas, velocidade de 240 nós e pode operar em uma altitude de 50 mil pés, possuindo uma capacidade de carga útil de 3.850 libras (1.746 kg), o que inclui 3.000 libras (1.361 kg) de cargas externas. O drone fornece uma capacidade de vigilância persistente e de longa duração com vídeo de movimento total e radar de abertura sintética/indicador de alvo móvel/radar marítimo. 

DEIXE UMA RESPOSTA