Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

GOL Linhas Aéreas Voos Smiles
Foto: Gabriel Melo/Aeroflap

A GOL Linhas Aéreas (GOLL4) divulgou nesta última terça-feira (13) uma atualização sobre as suas operações em março, complementando a parte financeira do mês, após divulgar dados sobre o tráfego aéreo.

Nesse período, a GOL ajustou sua capacidade para uma média de 245 voos por dia, uma redução de 31% em relação à média de 355 voos em fevereiro/21. Em dias de pico a GOL chegou a operar com 381 voos.

A receita bruta consolidada mensal da GOL foi de R$ 300 milhões e a taxa de ocupação média foi de 71,8%, evidenciando o foco contínuo da Administração em manter as operações sustentáveis, por meio de um ajuste contínuo da oferta de assentos à demanda de passageiros.

Em março de 2021, houve uma queda de 25% na busca por passagens aéreas da GOL, em relação a fevereiro/21, com uma redução de 40% no volume de vendas diárias durante esse mês, devido ao declínio na demanda por viagens decorrente do aumento de casos de Covid-19 no Brasil, combinado com a transição para o período de baixa temporada.

O Brasil enfrentou recentemente a “segunda onda” de casos de Covid-19 com pressão em sua rede hospitalar.

Como resposta ao aumento no número de cancelamentos e não comparecimentos (no-show), a malha aérea da GOL foi rapidamente ajustada para adequar os custos ao novo patamar de entradas, e teve uma redução de 29% entre a primeira e a quarta semana de março.

O PRASK foi de R$ 15,45 centavos, queda de 19% em relação a fevereiro de 2021 e uma variação ano/ano de -23% devido à maior redução nas tarifas pelos pares do setor para sustentar seus níveis de capacidade mais elevados.

“Durante o desafio dessa segunda onda de casos de Covid-19 no Brasil, permanecemos diligentemente focados na segurança de nossos Clientes e Colaboradores”, disse Paulo Kakinoff, Diretor Presidente. “Mantemos protocolos robustos de higienização e temos flexibilidade para rapidamente reajustar nossa malha aérea. Reiteramos nossa convicção de que, mesmo com a retomada não linear da demanda, a Companhia sairá mais forte e ainda mais resiliente à medida que os mercados começarem a se normalizar”.

Podemos observar que em março a liquidez da GOL diminuiu 10% em relação ao mês anterior, devido ao pagamento de dívidas. Ao mesmo tempo a empresa conseguiu equilibrar as entradas de caixa com as saídas de caixa, e faturar mais mesmo com a queda no número de voos.

Confira mais detalhes na tabela abaixo:

 

Operações em abril

No relatório apresentado pela GOL, a companhia ressalta que em abril está operando uma malha de voos ainda menor. Deste modo, cerca de 50 aviões estarão em operação no mês, atendendo a uma média de 175 a 200 voos diários.

A companhia suspendeu em abril a operação em nove bases da empresa, a maioria contemplando destinos regionais, onde concorre com a Azul, ou destinos turísticos, como Caldas Novas (GO) e Jericoacoara (CE).

Vale ressaltar que nos últimos dias a GOL está operando quase toda a sua frota de aeronaves Boeing 737 MAX, com sete aviões em atividade. O novo modelo reduz o consumo de combustível em até 15% e proporciona para a companhia um custo operacional ainda menor, em comparação com o restante da frota.