Os aeroportos públicos agora estão na mira do Governo Federal para conseguir a meta no orçamento de 2018, a concessão de vários aeroportos e a venda de parte da Infraero pode ajudar na arrecadação de R$ 20 bilhões, ou mais. O ministro dos Transportes, Maurício Quintella, disse que 19 aeroportos estão sendo avaliados em relação à concessão da sua administração.

Anteriormente o mesmo ministro tinha afirmado que o Governo Federal já estava planejando o leilão de Santos Dumont (SDU) e mais outros aeroportos em um pacote, como o Aeroporto de Jacarepaguá, Macaé,  da Pampulha e aeroportos do Espírito Santo.

Esse valor só será possível pois no modal atual de concessões o governo arrecada no ato das assinaturas do contrato 25% do valor da outorga (dinheiro pago pela empresa pela concessão), além de um ágio referente à diferença entre o lance mínimo e o máximo, sendo que os outros 75% são pagos ao longo dos outros anos da concessão. Em julho o governo arrecadou a vista R$ 1,46 bilhão só com a assinatura do contrato de concessão de quatro aeroportos, antes administrados pela Infraero.

Além disso o governo planeja vender a participação da Infraero nos seguintes aeroportos: Brasília, Confins, Galeão, Guarulhos e Viracopos. A compra dessa participação poderá ser feita pela própria concessionária que administra o terminal atualmente. Só esses aeroportos serão responsáveis por R$ 10 bilhões da arrecadação realizada pelo governo.

Foto – Infraero/Reprodução

Outros aeroportos como Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) são os mais cotados para o próximo leilão, devido ao alto valor de compra, só Congonhas nos novos moldes pode valer R$ 4 bilhões. Mas o governo ainda não decidiu se vai leiloar os aeroportos como pacotes, com outros aeroportos menores junto dos maiores aeroportos, ou se fará um leilão individual para cada, procedimento que também é responsável pela demora do leilão de todos os aeroportos.

Esses 20 bilhões de reais arrecadados serão o suficiente para amenizar o déficit fiscal de 2018, que passou de R$ 129 bilhões para R$ 159 bilhões. O governo não se concentrará só nos aeroportos, também haverá leilão da ferrovia Norte-Sul, na área de petróleo e gás e também a venda de usinas da Eletrobrás, que será responsável pela maior arrecadação, com cerca de 30 bilhões de reais na estimativa inicial.