Galpão do Terminal de Cargas do Aeroporto de Guarulhos.

A GRU Airport, administradora do Aeroporto Internacional de São Paulo, e o Grupo Tri-Star, especializado no manuseio e tratamento de cargas para empresas aéreas, anunciaram um investimento de R$ 3 milhões para a implantação de um novo armazém alfandegado destinado à exportação.

A administradora afirma que o projeto inédito possibilitará aumentar em até 35% a capacidade de recebimento de cargas para exportação, armazenamento das mesmas, prestação de serviços e paletização para exportação. A previsão é que o novo espaço seja inaugurado em junho de 2021. 

O espaço de mais 5 mil m², dedicado para clientes Tri-Star, proporcionará agilidade no recebimento de cargas perecíveis e animais vivos. A expectativa de GRU Airport é aumentar o market-share na exportação, que em 2020 foi de 47%.

 “A parceria com a Tri-Star vai nos trazer diversos benefícios como melhorias nas áreas de serviços alfandegados, ampliação nos ambientes de trabalho e atendimento” afirmou a diretora Comercial e de Cargas da Gru Airport, Mônica Lamas.

“Estamos orgulhosos em contribuir para o crescimento do Terminal de Cargas do Aeroporto mais importante do país, além de honrados por participar deste projeto inédito no Brasil,  junto com a Gru Airport, e principalmente, com o apoio da Receita Federal e demais órgãos anuente, que viabilizaram a execução deste projeto, que proporcionará aos nossos clientes uma redução considerável no tempo de paletização de cargas, mais flexibilidade nos prazos de aceitação destas cargas, e acima de tudo, um atendimento muito mais dedicado aos exportadores, principais clientes desta cadeia logística, e que trazem divisas para nosso país”, afirmou CEO da Tri Star, Fernando Bimonti. 

Cargas

Mesmo diante de um cenário extremamente desafiador, o Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional de São Paulo movimentou em 2020 cerca de 208 mil toneladas entre importação e exportação. O crescimento de 250% no número de cargueiros internacionais foi essencial para esta marca. 

Entre os itens mais transportados nesse período estão fármacos, partes e peças automotivas, têxtil, alimentos, maquinários e peças aeronáuticas. Devido a sua malha aérea e conectividade, o aeroporto também se destaca na distribuição do comércio eletrônico.

Segundo a GRU Airport, o aeroporto também possui o maior complexo frigorífico em aeroportos do Brasil, com cerca de 30.000 mil m³ de capacidade de armazenamento de importação e exportação. As 23 câmaras frias alcançam todos as faixas de temperatura e atendem todos os tipos de produtos. Além disso, o terminal conta com 440 posições para contêineres refrigerados na importação e 8 na exportação.

O terminal foi a principal porta de entrada para cargas farmacêuticas no Brasil, especialmente aquelas dedicadas ao combate da pandemia de COVID-19, resultando no aumento de 6 pontos percentuais no market-share do segmento, de 50% em 2019 para 56% em 2020.

Além disso, a localização na região metropolitana de Guarulhos favorece o acesso a importantes rodovias que ligam o aeroporto a todo o país, e a oferta de voos diretos e diários garante maior eficiência e agilidade no transporte das cargas.