Airbus A320neo Lufthansa
Airbus A320neo da Lufthansa. Foto - Lufthansa

A Lufthansa divulgou recentemente os seus resultados financeiros no 1º semestre de 2019, e também citando o crescimento da companhia no 2º trimestre.

O Grupo Lufthansa teve uma receita bruta 3% maior no primeiro semestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior, totalizando 17,5 bilhões de euros no período de 6 meses.

Enquanto isso a companhia registrou um EBIT no segundo trimestre de 754 milhões de euros, porém o resultado foi puxado negativamente devido ao primeiro trimestre, totalizando 418 milhões nos primeiros seis meses de 2019.

Ao todo o grupo registrou um lucro líquido de 226 milhões de euros no 2º trimestre, enquanto no primeiro apresentou um prejuízo líquido de 342 milhões. Totalizando um prejuízo de 116 milhões de euros no primeiro semestre, contra um lucro de 713 milhões no 1º semestre de 2018.

Os ganhos foram menores no 2º trimestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior, devido a um aumento dos custos operacionais em 8%, algo impulsionado por uma alta de 16% nos gastos com combustíveis.

“Nossos ganhos estão sentindo os efeitos da dura concorrência na Europa e excesso de capacidade considerável, especialmente em nossas rotas de curta distância fora da Alemanha e da Áustria”, afirma o diretor financeiro da Deutsche Lufthansa Ag, Ulrik Svensson.

O Grupo Lufthansa é composto pelas companhias Lufthansa, Swiss, Austrian, Eurowings e Brussels. Atualmente o grupo está em reestruturação, assim como o grupo concorrente Air France-KLM, para buscar uma melhoria dos lucros.

 

Reformulação

“Enquanto o negócio longa distância continuou a evoluir fortemente, especialmente nas rotas transatlânticas e asiáticas, excesso de capacidade a nível global e crescente concorrência de companhias low cost que tentam ganhar quota de mercado com preços baixos estão a provocar fortes pressões de preços no tráfego europeu”, disse o Grupo Lufthansa.

A Lufthansa já anunciou alguns passos de reformulação a partir deste ano.

A Eurowings terá somente aviões Airbus A320 na sua frota, e vai focar em voos de pequena e média distância, a partir da Alemanha. Dessa forma o Grupo Lufthansa espera uma diminuição de 15% nos custos unitários (CASK) até 2022.

Foto – Divulgação/Lufthansa

A Lufthansa disse que os aviões A330 e A340 da companhia serão retirados, boa parte deles serão realocados em outras companhias do Grupo, como a Brussels Airlines, enquanto a Eurowings realoca seus passageiros em voos internacionais da Lufthansa.

Ao mesmo tempo a Lufthansa aponta que vai retirar da sua frota boa parte das aeronaves do modelo A380 até 2023, e prosseguirá com a aposentadoria do Airbus A340.

DEIXE UMA RESPOSTA