Foto - Divulgação

Um erro do guarda-costas do ex-primeiro-ministro David Cameron fez com que um passageiro descobrisse uma arma carregada a bordo de um voo da British Airways, que partiu de Nova York.

O guarda-costas da Polícia Metropolitana havia deixado a arma de fogo no banheiro, tendo usado as instalações a bordo da aeronave.

David Cameron, como ex-primeiro-ministro do Reino Unido, tem direito a proteção 24 horas por dia, 7 dias por semana, da Agência de Proteção Especializada da Scotland Yard. Eles viajarão pelo mundo com ele às custas do contribuinte do Reino Unido.

Segundo o The Sun, Cameron foi um dos passageiros a bordo do BA 112 de Nova York para Londres na segunda-feira. Ele estava viajando com seu esquadrão de proteção na época. No entanto, o voo não decolou devido ao que foi descrito como um incidente de passageiro a bordo.

A decolagem da aeronave foi adiada depois que um dos guarda-costas usou o banheiro. Ele tirou a arma do coldre enquanto usava as instalações. No entanto, uma vez concluído, ele esqueceu de devolver a arma, deixando-a em um dos banheiros da classe World Traveler Plus a bordo do G-CIVM, um Boeing 747.

Um passageiro foi ao banheiro e encontrou a arma além do passaporte de David Cameron, segundo várias fontes. Felizmente, o passageiro informou a tripulação da arma de fogo. A arma teria sido devolvida ao guarda-costas, no entanto, algumas fontes não identificadas sugeriram que o piloto informou que ela havia sido removida da aeronave.

A aeronave acabou pousando em Londres com um atraso de 30 minutos. Foto: FlightRadar24.com

O voo, que deveria partir de JFK às 18:30, acabou saindo só às 19:59, depois de deixar o portão de embarque às 19:38, segundo dados do FlightRadar24. No entanto, apesar do atraso de uma hora e meia no voo, o tempo foi compensado durante o voo. Como tal, a aeronave estava atrasada em apenas 30 minutos quando chegou em Londres.

 

DEIXE UMA RESPOSTA