Mi-24 Hind Ucrânia República Tcheca
Mi-24V Hind da Força Aérea da República Tcheca. Foto: Chris Lofting via Wikimedia.

Pela primeira vez um país está doando helicópteros de ataque para a Ucrânia. A República Tcheca anunciou ontem (23) a transferência de aeronaves Mil Mi-24 Hind para o país. A invasão da Rússia completou três meses nesta terça-feira e não há qualquer sinal de resolução até o momento.

O envio das aeronaves foi divulgado pelo secretário de Defesa, EUA, Lloyd Austin e o General Mark Milley, chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA.

No início do dia, os dois organizaram uma reunião virtual com seus colegas para discutir a assistência contínua à Ucrânia. Líderes de defesa de 47 países estiveram presentes na segunda reunião da coalizão, que foi apelidada de Grupo de Contato da Ucrânia.

Austin agradeceu a vários países europeus pelas doações de armas prometidas à Ucrânia durante a reunião, incluindo Reino Unido, Polônia, Noruega e Grécia. Mas ele destacou dois outros para elogios particulares.

“Estou especialmente grato à Dinamarca, que anunciou hoje que fornecerá mísseis Harpoon para ajudar a Ucrânia a defender sua costa”, diz Austin. “Gostaria também de agradecer à República Tcheca por seu apoio substancial, incluindo uma recente doação de helicópteros de ataque, tanques e sistemas de foguetes.”

Conforme o Wall Street Journal, este movimento é visto como mais uma escalada na guerra entre Kiev e Moscou. Ao lado da Eslováquia, a República Tcheca também permitiu que os militares ucranianos enviassem dezenas de veículos blindados através de suas fronteiras para reparos, antes de retornar ao conflito. 

Apesar da declaração de Austin, ainda não está claro quantos helicópteros os tchecos doaram ao país invadido. Segundo o levantamento World Air Forces 2022 do portal Flightglobal, a força aérea do país possui 15 helicópteros Mi-24 Hind. Estes atuam ao lado de 19 Mi-8/17 Hip de transporte. Os modelos serão substituídos por helicópteros AH-1Z Viper e UH-1Y Venom fabricados pela Bell dos EUA. 

Um Mi-24 Hind da República Tcheca disparando foguetes. Foto: OTAN.

Segundo o WSJ, a assistência mostra como o flanco leste da OTAN está servindo cada vez mais como um fornecedor-chave para a Ucrânia, enquanto o país trava o que se tornou um conflito convencional de grande escala.

Polônia, Eslováquia e República Tcheca doaram grandes sistemas de armas para a Ucrânia, já que os três países ainda mantêm peças sobressalentes e conhecimentos compartilhados para o equipamento projetado pelos soviéticos da Ucrânia. 

Em abril, a República Tcheca se tornou o primeiro país a doar tanques de guerra para a Ucrânia, enviando os MBTs (Main Battle Tank) T-72 para o país. Em março a Eslováquia doou mísseis antiaéreos de longo alcance S-300. 

À medida que as doações aumentam, com presença de sistemas cada vez mais complexos, o conflito parece ficar cada vez mais sem resolução. 

S-300 Eslováquia mísseis Ucrânia
Lançadores de mísseis do sistema S-300 da Eslováquia. Foto: EllsworthSK via Wikimedia (CC BY-SA 3.0)

O esforço internacional para fornecer material às forças armadas da Ucrânia parece ganhar força à medida que essas forças obtêm sucesso crescente no campo de batalha.

“O ímpeto de doações e entregas tem sido excelente”, observa Austin. “Após as discussões de hoje, tenho o prazer de informar que estamos intensificando nossos esforços e, seguindo em frente, continuaremos a aprofundar nossa coordenação e cooperação para que a Ucrânia possa sustentar e fortalecer suas operações no campo de batalha.”

O general Milley observa que o número de tropas americanas dentro e ao redor da Europa agora chega a 100.000 – um aumento de 30% em comparação com os níveis vistos antes da invasão da Ucrânia pela Rússia.

O grupo de contato da Ucrânia planeja se reunir novamente em junho.