Nesta semana a Hainan Airlines, da China, anunciou que venderá a sua participação restante na Azul Linhas Aéreas, como forma de cobrir a dívida que assola o HNA Group.

Anteriormente a companhia tinha declarado que realmente vendeu cerca de 20% da sua participação na Azul Linhas Aéreas para o Calfinco, administrador da United Continental Airlines.

Com essa venda a Hainan Airlines ficou com uma participação de 17,9% na Azul, e embolsou US$ 138 milhões pelo negócio.

Mas com essa venda da participação restante, a Hainan venderá seus 19,4 milhões de American Depositary Shares (ADRs) listados na Bolsa de Valores de Nova York, com valor total de US$ 335 milhões. O preço desses ADRs é de US$ 16,15 por cada ADR.

O preço de uma ADR da Azul é de US$ 16,75, de acordo com o fechamento desta quinta-feira, mostrando um desconto significativo para a compra de cada ADR. O planejamento é finalizar a venda com desconto até amanhã (29 de junho).

A medida não afetará o relacionamento comercial da Azul e da Hainan, de acordo com as companhias.

A Oferta Internacional representa a alienação da totalidade das ações emitidas pela Azul e detidas pela Hainan, com exceção de uma ação remanescente após a formação das ADSs, da qual a Hainan irá dispor após a conclusão da oferta. Com a realização bem sucedida da Oferta Internacional, a Hainan não terá mais o direito de indicar membros para o Conselho de Administração da Companhia.

A maior colaboração entre as companhias foi na transferência de cinco aeronaves do modelo Airbus A350-900 para o HNA Group, em 2017. 

A Hainan pagou US $ 450 milhões por uma participação de 23,7% na Azul em 2016.

Em crise e vendendo vários de seus ativos, o HNA, conglomerado da companhia aérea Hainan Airlines, disse que espera um lucro de US$ 42 milhões no negócio, principalmente para levantar dinheiro e cobrir o prejuízo que a empresa sofreu em 2017, depois de adquirir sem controle várias empresas do setor aéreo e de turismo.