General Electric GE

O acordo de compra da divisão de leasing da GE Aviation pela AerCap não foi totalmente elogiado pelo chefe da IATA, Alexandre de Juniac. De acordo com ele, essa junção bilionária pode ter efeito para muitas companhias aéreas.

“Entendemos que a situação das empresas de leasing é difícil”, disse o diretor-geral da IATA, Alexandre de Juniac, em uma entrevista para a Reuters. “Mas combinar os dois para ter um grande jogador (em) uma situação muito dominante não é uma boa notícia para nós.”

Para Juniac, a concentração na AerCap vai reduzir a concorrência no mercado de leasing de aeronaves, podendo refletir no preço dos aviões para as companhias aéreas.

O diretor geral da IATA, Alexandre de Juniac.

“Nunca é uma boa notícia ter uma cadeia de suprimentos dominada por uma única empresa”, disse Juniac na entrevista. “Esperamos que isso não signifique nenhum aumento nos arrendamentos, que são um custo muito alto para as companhias aéreas.”

Pela concentração de mercado na AerCap, há uma boa chance do negócio passar por reguladores antitrust, antes de ser finalizado.

Uma possível venda da GECAS pela a AerCap poderá criar a maior empresa de leasing de aeronaves, com mais de 2000 aeronaves na frota. A GECAS e a AerCap também são responsáveis por pelo menos metade das encomendas das duas maiores fabricantes de aeronaves, Airbus e Boeing.

O negócio inclui cerca de US$ 24 bilhões em dinheiro, uma participação de cerca de 46% na empresa formada após a fusão e US$ 1 bilhão pagos em notas da AerCap ou dinheiro no fechamento.

Todo o processo de venda deverá ser encerrado no quarto trimestre de 2021, e a empresa combinada terá mais de 2000 aviões próprios, superando os concorrentes.

 

Com informações de Reuters.