A American Airlines implementará uma suspensão faseada de voos internacionais de longa distância a partir dos EUA, com início no dia 16 de março e duração até o dia 06 de maio.

Essa alteração é uma resposta à redução demanda e mudanças nas restrições de viagem do governo dos EUA devido ao coronavírus (COVID-19).

A companhia aérea irá:

  • Reduzir a capacidade internacional em 75% – de 16 de março a 6 de maio;
  • Continuar a operar um voo diário de Dallas-Fort Worth (DFW) para Londres (LHR), um voo diário de Miami (MIA) para LHR e três voos por semana de DFW para Tóquio (NRT);
  • Continuar com voos internacionais de curta distância, que incluem voos para o Canadá, México, Caribe, América Central e alguns mercados na parte norte da América do Sul, conforme programado;

Além das mudanças internacionais, a companhia aérea prevê que sua capacidade doméstica em abril será reduzida em 20% em relação ao ano passado e a capacidade doméstica de maio será reduzida em 30%.

Mudanças de rotas internacionais

Por região, as novas alterações de agendamento incluem o seguinte:

Ásia, a partir de 16 de março

  • A American suspenderá todos os voos restantes para a Ásia, exceto três voos por semana de DFW para NRT.

Austrália e Nova Zelândia, a partir de 16 de março

  • Suspensão dos voos de Los Angeles (LAX) para Auckland (AKL) a partir de 16 de março, que estava programado para terminar o voo sazonal em 28 de março;
  • Suspensão dos voos de LAX para Sydney (SYD) a partir de 16 de março.

Europa, suspensão faseada

  • A American continuará operando um voo diário de DFW para LHR e de MIA para LHR;
  • Suspensão de voos de Nova York (JFK), Boston (BOS), Chicago (ORD) e LAX para LHR gradualmente nos próximos sete dias;
  • Os voos de LHR, Dublin (DUB) e Manchester (MAN) de Charlotte (CLT), Filadélfia (PHL) e Phoenix (PHX) serão suspensos mais rapidamente, pois esses aeroportos não são gateways aprovados pelo Departamento de Segurança Interna dos EUA;
  • Suspensões de voos em outras partes da Europa, conforme anunciado anteriormente, incluindo o início atrasado de algumas rotas sazonais, além de voos para Amsterdã (AMS), Barcelona (BCN), Frankfurt (FRA), Madri (MAD) e Munique (MUC) Paris (CDG) e Zurique (ZRH) até o início de maio ou mais tarde, com base em orientações do governo dos EUA e na demanda de clientes.

 

América do Sul, a partir de 16 de março

  • Suspensão de voos de JFK e MIA para o Rio de Janeiro (GIG) e Georgetown, Guiana (GEO);
  • Suspensão de voos de DFW, JFK e MIA para São Paulo (GRU);
  • Suspensão de voos de DFW e do MIA para:
    • Chile: Santiago (SCL);
    • Colômbia: Bogotá (BOG);
    • Equador: Guayaquil (GYE) e Quito (UIO);
    • Peru: Lima (LIM);
  • Suspensão de voos de MIA para:
    • Brasil: Brasília (BSB) e Manaus (MAO);
    • Colômbia: Barranquilla (BAQ), Cartagena (CTG), Cali (CLO), Medellin (MDE) e Pereira (PEI).

A equipe de reservas da American entrará em contato com clientes cujos voos foram cancelados diretamente pela email ou telefone.

Os clientes que fizerem reservas através de um agente de viagens serão contatados diretamente pela agência. 


Se um voo for cancelado e um cliente optar por não ser remarcado, ele poderá solicitar um reembolso total visitando aa.com/refunds .

DEIXE UMA RESPOSTA