Irkut MC-21

Os testes em condição extrema de gelo foram finalizados em um protótipo do MC-21, da Irkut. Uma aeronave equipada com motores PW1400G realizou uma sequência de 14 voos, com duração de 3 a 5 horas, em condições atmosféricas de frio extremo.

Os testes ocorreram em Arkhangelsk, no norte da Rússia, uma região nas proximidades do Mar Branco, que a Irkut diz fornecer as condições ideais de alta umidade e baixas temperaturas para a formação natural no gelo nas superfícies aerodinâmicas.

De acordo com a Irkut, o MC-21 se comportou bem nos testes, e os sistemas do avião foram capazes de manter a situação sob controle.

“Ao atingir a espessura de gelo exigida, a aeronave manteve uma determinada altitude na qual seu comportamento sob as condições naturais de gelo foi avaliado”, disse a UAC, estatal russa que representa a subsidiária Irkut. “A espessura da camada de gelo aumentou de voo para voo.”

Rússia Irkut MC-21

O gelo formado em superfícies aerodinâmicas altera o comportamento do fluxo do ar, para a Irkut é importante saber qual o nível de alteração no comportamento da aeronave, para prevenir uma situação insegura para os tripulantes e passageiros.

O MC-21 recebeu 12 câmeras externas para acompanhar a formação de gelo nas superfícies aerodinâmicas da aeronave. O tamanho da camada de gelo foi avaliado também através desse conjunto de câmeras.

Durante os testes os tripulantes chegaram até a desligar um sistema que evita a formação de gelo, para avaliar o comportamento com possíveis panes do sistema.

A operação do trem de pouso, as comunicações de rádio e a iluminação externa também foram verificadas durante a série de testes de gelo.

 

Por qual motivo realizar testes no frio intenso?

Com uma temperatura muito baixa, algumas partes do avião podem quebrar ou rachar, pela característica da dilatação diferente dos materiais utilizados nas aeronaves. Os engenheiros que projetam o avião já esperam esse comportamento, e atualmente poucos aviões sofrem desse problema durante os testes.

Mas da mesma forma, os testes são focados em verificar o nível de eficiência dos lubrificantes, sistemas de aquecimento da aeronave e funcionamento das partes móveis, que podem sofrer com a formação de gelo em seus sistemas de atuação.

Em condição de frio extremo, como na Sibéria, um avião também pode sofrer problemas em suas borrachas e plásticos, que não suportam a baixa temperatura e ficam quebradiços, causando problemas durante a utilização do avião.

Um outro interessante teste, citado pelo AirlinesRatings, é de ligar os motores após 24 horas do avião sem uso, e verificar como uma partida a frio é realizada, tanto para os motores como para a APU.

Adicionalmente a tripulação verifica como é pousar e decolar em pistas “congeladas”, bem como verificar o uso dos reversores dos motores na neve, e também alguns procedimentos de emergência, como uma Decolagem Abortada (RTO, em inglês), realizada pelos pilotos quando encontram alguma falha no avião, e a velocidade está abaixo do V1.

Os testes são realizados por todas as fabricantes de aeronaves para garantir que a aeronave possa operar em todas as condições climáticas extremas.