A Norwegian Argentina, que estava deficitária praticamente desde a sua fundação, anunciou hoje a venda das suas operações e das aeronaves para a JetSMART, que tem sede no Chile.

A quantia envolvida na negociação ainda não foi revelada por parte das duas empresas, e as negociações para fechar o acordo e transferir o comando prosseguirão nos próximos dias.

A empresa disse que a JetSMART continuará a operar voos programados a partir do Aeroporto Aeroparque de Buenos Aires, com a marca norueguesa sendo desativada na rede doméstica argentina nos próximos meses.

Os voos e a frota da Norwegian serão integrados à JetSMART Argentina, uma filial já existente. Para a compra de passagens nos voos da Norwegian Argentina até o dia 28 de março, os clientes deverão continuar acessando o site www.Norwegian.com.

A partir de 29 de março, todos os voos, tanto da JetSMART como da Norwegian Argentina, operados a partir de El Palomar ou a partir do Aeroparque, poderão ser encontrados no site da JetSMART,  www.JetSMART.com.

A JetSMART também planeja substituir os três aviões Boeing 737 NG da Norwegian por aeronaves Airbus A320.

“Estamos muito entusiasmados com a oportunidade de combinar as operações da Norwegian Argentina com as da JetSMART. Nossa empresa tem um compromisso de longo prazo com a Argentina como mercado chave em nossa visão de nos tornarmos a companhia aérea ultra low cost líder na América do Sul. Com esta transação, continuaremos oferecendo viagens aéreas acessíveis aos nossos clientes, tanto a partir do Aeroparque como de El Palomar. O modelo de negócios da JetSMART foi desenhado para garantir eficiência e segurança com baixos custos operacionais, o que nos permite oferecer passagens mais acessíveis aos passageiros. Não se trata apenas de tarifas baixas. É um modelo onde o passageiro paga apenas pelo que quer usar e nada mais”, diz Estuardo Ortiz, CEO de JetSMART. 


As dificuldades das duas low costs argentinas podem apontar também a possível retração do mercado, ou a dificuldade de competir diretamente com a estatal Aerolíneas Argentinas.

O diretor financeiro da Norwegian ainda ressaltou que desde o início das operações domésticas, no final de 2018, os resultados estão abaixo do esperado, algo que está sendo ainda mais dificultado pelos crescentes problemas econômicos do país. A crise na matriz norueguesa também piorou os resultados da empresa, que teve uma quantia menor de dinheiro para investir nas suas filiais, como a Norwegian Argentina.

 

Via – Reuters/Financial Post