LATAM

Em julho de 2022, a oferta doméstica de assentos (ASK*) da LATAM no Brasil deve ser até 6% maior do que a registrada em julho de 2019 (antes da pandemia de Covid-19).

O crescimento da companhia no Brasil se deve aos quase 3 mil voos extras programados para atender a alta temporada deste mês no País, à inauguração de destinos como Montes Claros, Juiz de Fora, Cascavel e Caxias do Sul, além da reabertura de rotas suspensas desde 2020 em função da pandemia.

É o caso dos voos diretos Brasília-Rio Branco, Brasília-Palmas, Fortaleza-Manaus, Fortaleza-Maceió, Manaus-Porto Velho, Fortaleza-Vitória e Curitiba-Porto Alegre, por exemplo.

Já em voos internacionais a partir do Brasil, a LATAM prevê recuperar em julho até 68% da sua oferta de assentos (ASK*) do pré-pandemia e já restabeleceu voos do País para 20 destinos no exterior: Assunção, Barcelona, Bogotá, Buenos Aires/Aeroparque, Buenos Aires/Ezeiza, Cidade do México, Frankfurt, Lima, Lisboa, Londres, Madri, Mendoza, Miami, Milão, Montevidéu, Nova York, Orlando, Paris, Santiago e Roma, reinaugurado neste mês.

No Brasil, em junho de 2022, a LATAM registrou uma demanda de passageiros (RPK**) de 94,8% e uma oferta de assentos (ASK*) de 101,7% no mercado doméstico do Brasil em comparação com junho de 2019, resultando em uma taxa de ocupação de 73,4%.

 

Operação global do grupo LATAM

Somadas todas as suas filiais, o grupo LATAM prevê recuperar até 80% da sua oferta total de assentos (ASK*) em julho de 2022, na comparação com julho de 2019 (antes da pandemia de COVID-19).

Além disso, prevê operar neste mês quase 1.261 voos domésticos e internacionais por dia para 139 destinos em 22 países. Na divisão de cargas, a companhia programou 1.280 voos em aeronaves cargueiras. Todas as projeções estão sujeitas à evolução da pandemia nos países em que o grupo opera.

Ao todo, em junho de 2022 e na comparação com junho de 2019, o grupo LATAM registrou uma demanda de passageiros (RPK**) de 70,7% e uma oferta de assentos (ASK*) de 73,5%, resultando em uma taxa de ocupação de 80%. Já no transporte de cargas, registrou uma ocupação de 56,8% com um aumento de 1,7% em relação a junho de 2019.

 

*ASK: sigla em inglês para Assentos-Quilômetros Oferecidos

**RPK: sigla em inglês para Passageiros-Quilômetros Transportados