LATAM vai demitir 2700 tripulantes após rejeição às mudanças permanentes

A350 sendo rebocado para o hangar de manutenção da LATAM.

Em votação realizada on-line nesta sexta-feira (31/07), os tripulantes associados da Latam Airlines Brasil deliberaram por não autorizar que o SNA negocie com a empresa mudanças permanentes no modelo de remuneração.

– Resultado da votação

Comissários: 79% de votos contra a autorização para negociação, e 21% de votos a favor.

Copilotos: 71% de votos contra a autorização para negociação, e 29% de votos a favor.

Comandantes: 74% de votos contra a autorização para negociação, e 26% de votos a favor.

Anteriormente, em votação realizada on-line entre os dias 23 e 27 de julho, os tripulantes rejeitaram as propostas de ACTs apresentadas pela empresa, que tinham dispositivos que condicionavam a validade dos acordos à aprovação de mudanças permanentes na remuneração.

A votação desta sexta foi realizada devido uma condição imposta pela Latam, que para continuar negociando exige que a categoria esteja disposta a negociar uma alteração permanente, reduzindo o salário.


O SNA já requereu uma audiência de mediação no TST, mas a LATAM ameaça demitir a qualquer momento 2700 tripulantes.

O SNA também já firmou mais de 60 acordos coletivos com empresas de aéreas de todos os segmentos, incluindo Gol e Azul, para enfrentamento da crise —sempre com reduções de salário e jornada temporários e com manutenção dos empregos como contrapartida.

 

Em nota ao Portal Aeroflap a LATAM Brasil disse:

A Latam informa que, após a confirmação do resultado da assembleia conduzida pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) na data de hoje, 31/7, teve a proposta de futura alteração do modelo de remuneração rejeitada e iniciará o processo de redução do quadro de tripulantes. 
 
De hoje, 31/7, até o dia 4 de agosto a empresa abrirá processo de pedido de demissão voluntária (PDV) e, após essa data, serão iniciados os desligamentos de no mínimo dois mil e setecentos tripulantes. 
 
A pandemia do COVID-19 representa a maior crise de saúde pública da história e está afetando drasticamente toda a indústria mundial da aviação. A LATAM é a maior e mais antiga das três empresas que atuam no Brasil e remunera mais os tripulantes tanto em voos domésticos quanto em internacionais, por isso, a empresa tem a necessidade de equiparar-se às práticas do setor. Diversas vezes essa pauta foi objeto de negociação com o sindicato, contudo a atual crise torna essa medida ainda mais imprescindível para a LATAM.   
 
A empresa sempre esteve aberta ao diálogo com o objetivo de preservar o máximo de empregos possíveis e manter a sua sustentabilidade no longo prazo. 

DEIXE UMA RESPOSTA