A 1ª Tenente Brenda McCarthy, última mulher formada como WSO no USMC. Foto: Corporal: Mellizza Bonjoc/USMC.

No dia 27 de maio, o esquadrão de treinamento da Marinha dos EUA VT-86 Sabrehawks formou 16 novos aviadores navais. Dentre eles está a 1ª Tenente Brenda McCarthy, do Corpo de Fuzileiros Navais (USMC), a última mulher formada como Oficial de Sistemas de Armas (Weapons Systems Officer – WSO). 

A cerimônia foi ainda mais especial pela presença da Tenente-Coronel Amy McGrath, a primeira mulher do USMC a se tornar um WSO, hoje já aposentadas. Ela que inseriu o distintivo de asas douradas no fardamento da Tenente McCarthy, ação que marca a formação do aviador naval. 

O WSO (sigla pronunciada “wizzo”) é o oficial que fica no assento traseiro da aeronave, no caso o F/A-18D Hornet, responsável por monitorar e operar os mais variados sistemas do caça, como ações de reconhecimento, identificação e ataque de alvos, navegação e comunicação, não deixando uma extensa carga de trabalho para o piloto. 

Em situações de suporte aéreo aproximado, por exemplo, o WSO é importante pois ajuda a identificar as tropas amigas e inimigas, evitando o ato de fratricídio (fogo amigo). Esses militares também se fazem presentes nos F/A-18F Super Hornet da Marinha e nos F-15E Strike Eagle da Força Aérea. 

A Tenente McCarthy está entre os três últimos militares que serão formados para essa função, e já é a última mulher, pois o USMC está no processo de aposentadoria dos F/A-18C/D, os chamados Legacy Hornets. Ainda assim, como alguns de serviço ainda, os Legacy Hornets dos Fuzileiros serão atualizados com radares novos.

Além disso, o USMC terá uma frota de caças composta somente de jatos stealth F-35B e F-35C e desde 2019 vem incorporando caças F/A-18C (de um lugar) nos esquadrões de Caça e Ataque Para Qualquer Condição Meteorológica (VMFA (AW)), unidades que sempre empregaram somente aeronaves de caça de dois lugares. Desta maneira, em 2019, a organização afirmou que iria cessar a formação de WSOs, processo que faz parte do plano Marine Corps Force Design 2030.

F/A-18D Hornet do VMFA(AW)-533 durante um treinamento na Califórnia. Foto: Corporal Cody Rowe/USMC.

McCarthy escreveu uma carta à Tenente-Coronel McGrath agradecendo o que ela fez para lutar pelas mulheres nas forças armadas, especificamente na área de aviação, e perguntou se ela também gostaria de fazer parte de sua cerimônia.

“Eu disse a ela que sabia que iria voar em maio e que teria ficado honrado se ela pudesse se juntar a nós para me alinhar”, disse McCarthy. “Achei que seria uma verdadeira inspiração para minhas irmãs, que são muito jovens, e para as mulheres em geral no exército, ver o empoderamento das mulheres na aviação, em um clube masculino, apenas honrando umas às outras e ela aceitou.”

A pedido de McCarthy, McGrath falou na cerimônia de formatura como convidado de honra. Ela detalhou seu tempo de serviço e como ela teve que lutar pelos direitos das mulheres na aviação. Ela explicou como havia uma lei federal que proibia mulheres de se tornarem aviadoras e como ela ajudou a mudar isso. “Então foi isso que eu fiz, me tornei uma defensora nessa idade. Escrevi os jornais locais aos 12 anos”, disse ela.

McGrath se orgulha de que tantas mulheres estejam seguindo seus passos como aviadora. “É muito bom ver as mulheres que continuam servindo nessas funções.”

Formatura dos novos aviadores em maio. Foto: Corporal Fernando Moreno/USMC.

Enquanto osHornets podem estar entrando em seus anos finais e o Corpo de Fuzileiros Navais se afasta do conceito de dois tripulantes, McCarthy diz que se esforçará para ser o melhor que puder e ajudar seus pilotos a executar suas missões.

“Quero ser um membro contribuinte para qualquer aeronave em que estou voando naquele momento, …quero ter certeza de que meus pilotos saibam que estou protegendo eles onde quer que estejamos”, disse McCarthy. “Honestamente, esse é meu objetivo pessoal, receber a confiança dos pilotos que estão voando comigo, porque tenho que confiar neles tanto quanto eles precisam confiar em mim.”

Agora, a 1º Tenente McCarthy segue para um esquadrão de recompletamento de frota, onde vai receber treinamento específico para a aeronave que ela irá operar.