Ministério do Turismo e UFSC firmam acordo para diagnóstico de rotas turísticas

Para planejar melhores condições ao transporte turístico de passageiros, o Ministério do Turismo encomendou um diagnóstico das 30 rotas turísticas estratégicas no país, contempladas pelo programa Investe Turismo.

O raio-X do turismo brasileiro será produzido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e irá traçar as condições de transporte nestas rotas, estrutura existente, integração de modais, disponibilidade de informações aos turistas, entre outros itens. O mapeamento abrange os modais rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo.

O Brasil possui dimensões continentais e, desta forma, realidades distintas. Por isso, o diagnóstico de necessidades específicas no que se refere ao deslocamento de pessoas, é fundamental para identificação de soluções e definição de diretrizes e políticas públicas para fomentar o turismo brasileiro.

“Estamos buscando novas estratégias com o objetivo de alcançarmos, novamente, os mesmos patamares de crescimento do turismo que tivemos ano passado. Este é o esforço que temos que fazer para gerar mais emprego e renda e colocar o turismo brasileiro no lugar que merece”, declarou o secretário nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões do Ministério do Turismo, Lucas Fiuza.

A ideia é construir um planejamento integrado das condições de locomoção dos turistas no país, provendo infraestrutura e informações adequadas, bem como conforto, segurança e viabilidade aos deslocamentos. Na avaliação do coordenador-geral de Mobilidade e Conectividade Turística do Ministério do Turismo, Higor Guerra, estas medidas conferem maior eficiência e atratividade ao setor.

“O incremento da eficiência da prestação dos serviços de transporte de passageiros de vocação turística passa pela adequada oferta de infraestrutura e integração entre os diversos modos de transporte”, disse.

O acordo firmado com a Universidade Federal de Santa Catarina também prevê o desenvolvimento de uma estratégia de capacitação aos setores públicos locais e entidades privadas ligadas ao turismo. E, ainda, o desenvolvimento de uma base georreferenciada com os principais elementos de infraestrutura e informações das 30 rotas turísticas.


 

Via – Ministério do Turismo

DEIXE UMA RESPOSTA