Um caça de ataque ao solo Dassault Mirage 2000D da Força Aeroespacial Francesa (Armée de l’Air et de l’Espace) caiu na manhã de hoje (20) no norte do Mali. Os dois tripulantes, piloto e navegador/operador de sistemas de armas, ejetaram e foram resgatados logo em seguida, confirmou o Ministério dos Exércitos em comunicado de imprensa. Segundo o portal Ouest France, a aeronave pertencia ao 3º Esquadrão de Caças (3e Escadre de Chasse). 

Segundo o Ministério, o caça estava envolvido em uma missão “de apoio aéreo em benefício de um Grupo Tático do Deserto (GTD) na região de Hombori”, quando sofreu danos que exigiram a ejeção da sua tripulação. Um grupo de busca e resgate composto por dois helicópteros NH90 Caiman escoltados por um par de helicópteros de ataque Tiger, foi enviado “para estabelecer um dispositivo de segurança e recuperar a tripulação.”

Os dois tripulantes foram encontrados e levados à base de Gao. Um deles sofreu ferimentos leves. “Os destroços do avião, que caiu em uma área desabitada, foram localizados pela força Barkhane. Uma investigação será iniciada para esclarecer a origem deste acidente.” Segundo o porta-voz das Forças Armadas Francesas, Coronel Pascal Ianni, “os grupos terroristas não são a causa do problema.”

O Mirage 2000D foi desenvolvido após o Mirage 2000N, versão dedicada às missões de ataque nuclear e já aposentada. Ambos tem como base o Mirage 2000B, usado no treinamento e formação de pilotos de Mirage 2000C. A aeronave pode empregar uma série de armamentos ar-solo, como bombas da Família Paveway, mísseis de cruzeiro SCALP, foguetes SNEB de 68mm, pods de canhão de 30mm e mísseis ar-ar de curto alcance Magic II para autodefesa. Segundo o levantamento World Air Forces 2021 do portal Flightglobal, a França possui 70 jatos Mirage 2000D em sua frota. 

Mirage 2000D descolando armado com mísseis SCALP e Magic II. Foto: Ministério da Defesa Francês.

DEIXE UMA RESPOSTA