Imagem: FAB/Divulgação (captura de tela).

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em conjunto com a Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), o Subdepartamento Técnico (SDT), a Divisão de Projetos (DPJ), o Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV) e o Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) do DCTA, realizou entre 14 e 25 de junho a Campanha de Certificação do Míssil AM39B2M2 Exocet, empregado pela primeira vez a nível mundial em um helicóptero H225M, designado AH-15B Super Cougar pela Marinha do Brasil (MB). 

A Campanha, visando aumentar a capacidade operacional da MB, consistiu em dois lançamentos do míssil AM39B2M2 em uma área de ensaio selecionada pela Marinha, afastada mais de 130 milhas do litoral. A operação contou com a participação de diversas outras Companhias e Organizações Militares, como a Airbus Helicopters/Helibras, a empresa MBDA e a própria Marinha, explicou a FAB. 

De acordo com o Coordenador-Geral da Operação (CGO), Coronel Aviador José Ricardo Scarpari, “mais do que uma etapa contratual, a certificação de integração do míssil AM39 Exocet ao H225M versão Naval, viabilizará o aumento da capacidade de emprego da Marinha do Brasil, que obterá novamente a capacitação de lançamento dessa categoria de armamento inteligente, a partir de uma plataforma de Asas Rotativas. É a Força Aérea Brasileira (FAB) contribuindo para o poder dissuasório das Forças Armadas”, afirma.

Ainda segundo o Oficial, a Campanha exigiu meses de planejamento e preparação, sendo realizadas ações de treinamento e de simulações para tornar possível o ensaio com o nível de segurança apropriado.

Dentre as atividades preparatórias, destacam-se o treinamento no laboratório de testes de sistemas da Helibras (CSIB – Complete System Integration Bench), o treinamento na Unidade de Treinamento de Escape para Aeronaves Submersas (UTEPAS) e a qualificação de pouso a bordo em navio da Marinha do Brasil.

Foto: FAB/Divulgação.

Preparação para a Campanha

O treinamento no CSIB foi realizado em abril, na cidade de Itajubá (MG), local onde fica a sede da empresa Helibras. Na oportunidade, pilotos e engenheiros de prova puderam se familiarizar com o sistema embarcado na versão Naval do helicóptero H225M, bem como analisar e ajustar os detalhes operacionais e de segurança relativos aos voos da Campanha de Certificação.

O treinamento UTEPAS, ocorrido no mês de maio, foi realizado no Centro de Instrução e Adestramento Aeronaval (CIAAN), na cidade de São Pedro da Aldeia (RJ). Desenvolvido pela Marinha do Brasil, o treinamento teve a finalidade de melhorar a possibilidade de sobrevivência das tripulações de ensaio em caso de queda da aeronave no mar. Foram feitas simulações de queda do helicóptero na água e o treinamento de escape pelos tripulantes.

Foto: FAB/Divulgação.

A qualificação de pouso a bordo em navio da Marinha do Brasil foi realizada em duas etapas, nos meses de março e junho. Na primeira, pilotos e engenheiros de prova puderam acompanhar os procedimentos para pouso a bordo no NAM (Navio-Aeródromo Multipropósito) Atlântico.

Na segunda etapa, ocorreu a qualificação para pouso a bordo do NDM (Navio Doca Multipropósito) Bahia, navio utilizado em apoio à Campanha de Certificação, com instruções teóricas e práticas.

As instruções teóricas ocorreram no aeródromo da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA) e as instruções práticas ocorreram no NDM Bahia navegando em alto-mar. A qualificação ocorreu com o navio em movimento no mar e seguiu o mesmo programa de formação realizado pelos pilotos da Marinha do Brasil.

Foto: FAB/Divulgação.

De acordo com o Piloto de Prova Principal da Campanha (PP1), Major Aviador Javé Ferreira da Costa, “o planejamento e as ações realizadas em período anterior da Campanha permitiram que os objetivos dos ensaios fossem alcançados com segurança”, disse.

Após a realização da Campanha, as próximas etapas serão finalizar discussões contratuais e ensaios entre o DCTA/IPEV e a Helibras/Airbus Helicopters, de maneira que se possa viabilizar o recebimento da primeira unidade da versão Naval ainda no ano de 2021.

Foto: FAB/Divulgação.

Via Força Aérea Brasileira – DCTA/IPEV

DEIXE UMA RESPOSTA