Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Técnicos da Marinha inspecionam o pod na asa do P-8A Poseidon. Foto: US Navy.

O Comando de Sistemas Aeronavais (NAVAIR) da Marinha dos EUA (US Navy) anunciou que um jato de patrulha marítima P-8A Poseidon testou um novo protótipo de pod de contramedidas de radiofrequência (RFCM). 

O teste foi realizado no dia 12 de março, mas divulgado apenas recentemente, e validou com sucesso a aeronavegabilidade do pod especialmente projetado para o P-8. No futuro, o equipamento permitirá que o Poseidon possa carregar decoys (iscas) rebocáveis ALE-55 Fiber-Optic Towed Decoy (FOTD). Foi utilizado um jato do esquadrão de testes VX-20.

Projeção digital da BAE Systems mostrando um P-8A carregando o novo pod.

“Isso tem o potencial de ser uma virada de jogo para a proteção do combatente”, disse o Aapitão Eric Gardner, gerente de programa do Escritório do Programa de Aeronaves de Patrulha Marítima e Reconhecimento (PMA-290). “Continuamos procurando maneiras de aprimorar as capacidades que permitem que a frota seja bem-sucedida.”

Segundo o comunicado da Marinha (que inclusive foi retirado do ar), o casulo foi colocado em fase de testes em pouco mais de um ano graças a um esforço de equipe completo envolvendo o PMA-290, o Escritório do Programa de Sistemas Táticos Avançados de Proteção de Aeronaves (PMA-272), a Equipe de Experimentação, Demonstração e Prototipagem Rápida (RPED) e a Divisão de Sistemas Protótipos de Aeronaves (APSD) do NAWCAD (Divisão de Aeronaves do Centro de Guerra Aérea Naval). 

Segundo o site The Aviationista BAE Systems trabalhou junto com as equipes da Marinha após receber um contrato de US$ 4 milhões para desenvolver e demonstrar o equipamento interno do pod RFCM, permitindo uma redução crítica da quantidade de tempo e recursos necessários para esta nova tecnologia de autoproteção para a transição de protótipo para capacidade de frota.

Técnico do VX-20 com o novo pod de RFCM no P-8A. Foto: US Navy.

Outro fator que acelerou bastante o desenvolvimento do protótipo é o fato de que a sua “carcaça” é baseada na mesma usada pelos mísseis anti-navio AGM-84 Harpoon, já certificados para uso no P-8. Dessa maneira, não há necessidade de fazer uma série de novos testes. 

O novo casulo será equipado com os AN/ALE-55 FOTD, um sistema de guerra eletrônica com despistadores rebocáveis. O equipamento, já usado nos caças F/A-18E/F Super Hornet e EA-18G Growler, é rebocado através de um cabo de fibra óptica, ficando há uma distância segura da aeronave.

Trabalhando em conjunto com sistema de guerra eletrônica do avião, o ALE-55 emite sinais de interferência de alta potência, mesmo sendo de tamanho compacto, bloqueando, confundindo e/ou atraindo mísseis inimigos guiados por radar, protegendo a aeronave. Caso seja atingindo, a aeronave-reboque pode cortar o cabo e lançar outro decoy. 

Após os testes do dia 12, o casulo-protótipo foi enviado ao Centro Naval de Testes de Armas de China Lake, na Califórnia, onde completou de maneira bem-sucedida os testes de eficácia realizados entre os dias 21 e 26 de março.

AN/ALE-55. Foto: BAE.