passagens aéreas preço

O IBGE divulgou nesta quinta-feira (09/06) Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio foi de 0,47%, 0,59 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de 1,06%, de abril.

Nos primeiros cinco meses de 2022, o IPCA acumula alta de 4,78% e, nos últimos 12 meses, de 11,73%, abaixo dos 12,13% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2021, a variação havia sido de 0,83%.

No grupo Transportes, que teve alta geral de 1,34%, a maior contribuição veio das passagens aéreas (18,33%), que já haviam subido em abril (9,48%). O setor de transportes também foi o que mais contribuiu para a alta de 0,47% no IPCA em maio.

Vale ressaltar que publicamos duas vezes em abril e neste mês que a Petrobras impôs um reajuste de 18% e logo depois de 6,7%. De 1º de janeiro a 1º de maio, a alta chegou a 48,7%, segundo dados da Petrobras compilados pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR).

O querosene é um dos principais insumos utilizados pelas companhias aéreas, e corresponde a até 40% do custo de um voo. Logo, a alta dos combustíveis influencia diretamente no preço médio das passagens aéreas.

 

Via: IBGE