Foto - MAP/Divulgação

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) concedeu ontem (31/07) alguns slots de operação para as companhias MAP e Passaredo, que até então estavam fora das operações no aeroporto central de São Paulo, o mais concorrido do Brasil.

A MAP ganhou o equivalente à 12 slots, enquanto a Passaredo recebeu 14 slots. A distribuição apresentou um certo nível de igualdade, mas agora as duas companhias terão 9 dias para justificar à ANAC a sua capacidade técnica de operar com esses slots.

Na capacidade técnica as empresas terão que relatar para o Decea e a Infraero as características operacionais das suas aeronaves, de acordo com o voo e a operação de Congonhas.

A ANAC diz que: “As empresas precisarão atender os requisitos operacionais exigidos para operação no aeroporto”.

Caso as companhias não tenham algum dos requisitos, os horários voltarão a ser redistribuídos pela ANAC, considerando as novas regras atuais para novas entrantes.

A Azul ainda tem mais uma chance de conseguir slots, se houver essa redistribuição, visto que ela terá 41 slots, abaixo do máximo de 55 para ser considerada uma nova entrante. Porém, a companhia poderá receber no máximo 13 slots.

Após a aprovação, as empresas poderão iniciar a oferta de voos de acordo com os horários alocados. A alocação dos slots vale para a próxima temporada (de 27/10/2019 a 28/03/2020), mas, considerando o nível crítico de concentração e alta saturação da infraestrutura de Congonhas, as empresas estão autorizadas a iniciar imediatamente a oferta de voos.

Vale ressaltar que os slots são “alocações” de decolagem e pouso, sendo equivalente a um voo, ou seja, se a companhia consegue 12 slots, ela terá direito a operar 12 voos por dia no Aeroporto de Congonhas.

A Passaredo é uma empresa regional com foco no mercado paulista, que opera com 6 aviões ATR 72 em sua frota, e já cumpre voos para o Aeroporto de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo. A MAP Linhas Aéreas tem cinco aviões na sua frota, e tem como foco o mercado regional no norte do país.